Descaso com a cidade e com a própria vida

Por: Greice Scotton | 08/10/2017 00:00:00

Dois assuntos que parecem não ter muita afinidade, mas que, em essência, mostram a mesma coisa: descaso. A votação que Bento Gonçalves conquistou – aos “49 do segundo tempo”, no jargão esportivo – na Consulta Popular deste ano é tão lamentável quanto cenas recentes divulgadas pela fanpage “Por um trevo sem mortes” no Facebook.
A Consulta Popular mobilizou inacreditáveis 3.551 habitantes de Bento – computados votos on-line e via SMS. Sim, somos 86.996 eleitores e somente 3.551 se deram ao trabalho de usar o celular ou o computador para algo útil que não as futilidades típicas das redes sociais. Eu fiz a minha parte tanto como jornalista (na hora de divulgar a informação, várias vezes) quanto como cidadã (votando). Por isso, posso garantir que não levou mais do que um minuto. E a “demora” aconteceu, na verdade, porque eu não lembrava do número do meu título de eleitor e tive que procurar no sistema oferecido pelo projeto. Portanto, se você não votou, não me venha com o argumento de que a mídia não divulgou ou de que não teve tempo para fazê-lo – foram três dias de votação. 
Eu participei diretamente da histórica Consulta Popular de 2006, quando mais de 39 mil bento-gonçalvenses se mobilizaram para conquistar o aparelho de Radioterapia anos mais tarde instalado junto ao Hospital Tacchini. Sei bem como é fatigante tentar convencer as pessoas de que o voto delas pode fazer a diferença ou que vale a pena perder uns poucos minutos do dia em torno de algo que vai trazer benefício para muitos. Assim como também conheço a sensação de ter participado de algo e, depois de um tempo, se sentir frustrada por esse esforço ter sido aparentemente em vão. Isso porque mobilizar mais de 39 mil pessoas pareceu fácil se comparado à luta que foi para trazer o aparelho para a cidade após a conquista: o empenho do valor – mais de R$ 1 milhão – ocorreu mais de dois anos depois e o equipamento só foi instalado cinco anos mais tarde, em 2011. Mas ainda assim chegou e ajudou muita gente.
Talvez essa frustração com a política em geral possa justificar por que muitos não se interessam quando o assunto envolve algo para o bem coletivo. Ou talvez o jeito genérico como as propostas foram apresentadas neste ano, sem algo específico a ser conquistado, tenha dificultado o entendimento. Nunca vamos saber. O que posso garantir é que não podemos desistir de tentar melhorar o lugar onde vivemos. Seja de que jeito for. 
O outro exemplo recente de descaso envolve (mais uma vez) o trânsito. Um “acidente” flagrado por uma câmera de videomonitoramento instalada próximo ao trevo de acesso ao bairro Santa Rita, no final da tarde do último dia 3, mostra a imprudência de um condutor que fura a fila de carros que aguardam para cruzar a BR-470, entra direto na pista sem fazer a conversão no trevo e colide na lateral de outro veículo que não tinha nada a ver com a pressa dele e cujo condutor, por pouco, não levou a pior. A cena é lamentável e, infelizmente, não é rara. A página “Por um trevo sem mortes-BG” traz uma série de flagrantes envolvendo condutores de carros, motos, caminhões que não dão a mínima nem para a própria vida, quem dirá para a dos outros, em um dos locais onde mais ocorrem acidentes na região.  
Estamos de olho nesses e em tantos outros exemplos que podem ser trabalhados em forma de reportagens para fazermos a nossa parte e ajudar a melhorar a vida em Bento Gonçalves e região. Afinal, de descaso o mundo já está farto. 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Greice Scotton

Greice Scotton

 



Editora-chefe do Grupo SERRANOSSA desde 2010, é formada em Comunicação Social - Habilitação Jornalismo, pela Unisinos, e tem na Língua Portuguesa e na Fotografia duas de suas maiores paixões.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.



Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 636
17/11/2017
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA