Economia
12/03/2014 15:40:54, escrita por SERRANOSSA

Dicas para sair do vermelho e poupar no novo ano

A chegada das festas de final de ano vem acompanhada do pagamento do 13º salário – que, em geral, tem uma parcela depositada em 30 de novembro e a outra em 20 de dezembro. Antes mesmo de o valor entrar na conta, muitos trabalhadores já fazem planos de como vão usar essa renda extra. Dependendo de como foi a sua relação com o dinheiro ao longo do ano, a gratificação natalina pode ser encarada como um alívio para quitar as dívidas ou um impulso para economizar. Independente de qual seja a sua situação, o economista Nicanor Matiello, da Universidade de Caxias do Sul (UCS), dá dicas que podem fazer a diferença, especialmente para quem deseja mudar sua situação financeira no próximo ano.

Para quem chegou ao final do ano sem dívidas, a sugestão do economista é poupar parte do valor e utilizar o restante para os festejos e presentes. Na hora de investir o valor economizado, a poupança é a melhor alternativa para os que não gostam de investimentos de riscos. Para quem gosta de arriscar, as ações podem ser a alternativa. “Muitos papéis estão em baixa, com valor inferior ao que valem comparando-se com o patrimônio liquido. Em médio ou longo prazo dá para ganhar muita grana”, observa Matiello.

Mas, para quem está com o saldo no vermelho, sair das dívidas deve ser prioridade. “Além de sujar o nome, o consumidor ainda pode ter que assumir juros e encargos muito elevados. Renegociar faz parte, especialmente se os juros cobrados ou a cobrar são elevados. Normalmente, contas atrasadas são um fardo psicológico pesado de carregar, não fazem nada bem à alma”, aconselha.

Se o equilíbrio das finanças pessoais está entre as suas resoluções para o ano novo, a dica também é tentar aumentar os rendimentos, seja através da atividade já exercida, seja através de serviços ou tarefas que possam ampliar a renda. “Quem trabalha de segunda a sexta, eventualmente, pode fazer algo para aumentar os ganhos ou diminuir a despesa no sábado e, em casos esporádicos e de emergência, até no domingo”, exemplifica.

Escolhas inteligentes

Não gastar mais do que ganha. A dica é bem batida, mas nem sempre posta em prática. “Sempre há maneiras de comprar mais barato, trocar o produto, trocar o cardápio, diminuir saídas para festas, substituir programas sociais”, orienta o especialista.  Para auxiliar nesse processo, o consumidor deve anotar as despesas sistematicamente. “Assim é possível – e quase sempre é – cortar ou diminuir alguns gastos que não são importantes”, indica Matiello.

Isso não significa, porém, que todas as opções de lazer e divertimento devem ser descartadas. “Nossa alma também precisa estar de bem com o mundo, então um churrasco, chocolate, uma cervejinha ou espumante também são necessários”, complementa.

Para quem quer não apenas ficar com saldo positivo, mas realizar sonhos como compra da casa própria, troca de carro ou uma viagem ao exterior, a orientação é estabelecer metas. Aplicar o dinheiro na poupança é uma boa dica para juntar dinheiro. Depois de atingir o montante necessário, compre o que precisa, ou invista para obter retorno futuro. “Quase sempre nos deparamos com poucos recursos e grandes sonhos e então, mesmo que gradativamente, vale a pena poupar, subir degrau a degrau, até chegar ao que aspiramos. Mesmo que pareça quase impossível, este processo faz maravilhas e quase sempre se torna uma agradável surpresa”, conclui o economista.

Brasileiro não tem hábito de poupar

De acordo com um levantamento realizado nas 27 capitais pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal “Meu Bolso Feliz”, um terço dos consumidores entrevistados não conta com uma reserva financeira para realizar seus sonhos no futuro, como a compra de uma casa, carro ou viagem e outros 22% admitem não ter o hábito de guardar dinheiro pensando no amanhã.

Dicas para economizar

Gastar só o necessário;

Policiar-se para não adquirir supérfluos;

Fazer lista de produtos a compra no mercado e não adquirir nada além;

Estabelecer metas possíveis para poupança ou aquisição;

Perseguir e perseverar. 


Reportagem: Carina Furlanetto

É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA

O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.

 



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA