Geral
26/04/2018 18:51:43, escrita por Greice Scotton Locatelli

O Lar do Ancião pede socorro

O Lar do Ancião, uma das mais antigas entidades de Bento Gonçalves, passa pela pior crise financeira de sua história. “Como a maioria das pessoas e empresas, sentimos a recessão econômica. O volume de doações, tanto de pessoas físicas quanto jurídicas, vem caindo muito e nossa situação é precária”, lamenta a presidente, Lourdes de Souza. Com uma dívida de R$ 60 mil acumulada desde janeiro, a direção da entidade tem mobilizado diversos setores para tentar amenizar a situação que, entre outras consequências, obrigou o parcelamento dos salários dos colaboradores pela primeira vez em mais de 27 anos de história. O desafio agora, além de reorganização financeira, é sensibilizar a comunidade para que as doações voltem a acontecer – e que sejam constantes. Há opções de doações mensais, via boleto, a partir de R$ 25.


 

Lourdes segue o legado deixado por dona Anna Tedesco Variani, fundadora do Lar do Ancião e membro ativo da direção até sua morte, há pouco mais de oito anos. “Prometi, minutos antes de ela partir, que daria continuidade ao trabalho e assim tenho feito, com muita dedicação e amor”, lembra a presidente, à frente da entidade desde 2005. Ela lamenta outra dificuldade que tem se agravado com o passar do tempo: a redução no número de voluntários. “A maioria das pessoas que ajudavam envelheceu, inclusive temos alguns residentes que durante boa parte da vida fizeram trabalho voluntário aqui. É mais difícil envolver os jovens”, diz Lourdes. 

Mas não pense que é preciso muito para ajudar: simples gestos como conversar com os idosos, caminhar com eles pelas instalações, contar histórias ou cantar fazem toda a diferença, diminuem a carência afetiva e a solidão e têm reflexo positivo até na saúde deles. Há espaço ainda para quem quer ajudar na manutenção da área externa ou fazer costuras, por exemplo. Qualquer tipo de ajuda é bem-vinda. Hoje o Lar do Ancião tem 60 residentes com idades entre 77 e 102 anos – 12 dos quais sobrevivem com apenas um salário mínimo e muitos deles abandonados pelas próprias famílias. 


 

Doações além do tradicional

Apesar das graves dificuldades financeiras, o Lar do Ancião tem recebido doações constantes que auxiliam na manutenção do trabalho. Mesmo assim, a campanha é permanente para arrecadação de produtos de higiene e limpeza (xampu, desinfetante e água sanitária, principalmente), fraldas geriátricas (a maior parte dos residentes usa tamanho G e, sobretudo, GG) e itens de alimentação. No caso dos gêneros alimentícios, vale fugir da tradicional cesta básica: margarina, bolacha doce, gelatina, geleia, achocolatado, café, amido de milho e suco, por exemplo, são muito bem-vindos, além de azeite, ervilha seca partida, feijão, lentilha e leite. “São 70 almoços por dia, temos bastante demanda por alimentos”, diz a presidente. 
 

Maiores necessidades

• Doações em dinheiro
• Produtos de limpeza (desinfetante, água sanitária, detergente, sabão em pó)
• Produtos de higiene (xampu, sabonete, creme hidratante, desodorante)
• Fraldas geriátricas (tamanho GG)
• Leite (qualquer tipo)
• Itens de alimentação em geral (café, achocolatado, sucos, açúcar, azeite, sagu, maisena, bolacha doce, arroz, feijão, lentilha, amido de milho, massa, geleias, margarina, farinha, entre outros)

 


 



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA