Geral
14/07/2018 09:10:19, escrita por SERRANOSSA

Hospital Tacchini orienta população e esclarece dúvidas sobre H1N1

O Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) dos Hospitais Tacchini, em Bento Gonçalves e São Roque, em Carlos Barbosa, está atento e acompanha em tempo integral todos os casos suspeitos de pacientes que apresentam quadro de síndrome gripal. "A intenção é garantir que o atendimento continue acontecendo dentro dos padrões de segurança para os pacientes", explica a médica infectologista do SCIH, Nicole Alberti Golin. Até o momento dois casos de H1N1 foram diagnosticados na instituição. “Esses pacientes seguem internados recebendo tratamento e cuidados necessários”, esclarece.

Na última semana, o Hospital Tacchini passou a distribuir máscaras aos pacientes que aguardam atendimento no Pronto Socorro. “É uma medida simples, porém, essencial para evitar a transmissão de vírus entre as pessoas. Estamos em um período do ano em que as pessoas, em geral, tornam-se mais suscetíveis, podendo ser acometidas por resfriados, gripes e outras doenças respiratórias. Diante disso, a máscara torna-se uma medida protetora e está indicada para pessoas que estão apresentando sintomas respiratórios, como tosse por exemplo”, diz a médica.

Ela orienta as pessoas que evitem ao máximo ir ao hospital. “Só deve ir ao hospital as pessoas que realmente precisam realizar algum procedimento que não possa ser adiado ou que necessitem acompanhar algum paciente. As visitas devem ser evitadas”, orienta.

Sobre a vacina contra Influenza, a médica ressalta ser uma medida de prevenção muito importante e que está disponível nas Unidades de Saúde do município. “É fundamental que as pessoas busquem a proteção que a vacina proporciona contra as formas mais graves da doença" orienta.

A enfermeira Paula Guerra, que atua no SCIH do Hospital São Roque, esclarece que até o momento, nenhum caso do vírus H1N1 foi confirmado. “Tivemos apenas um caso suspeito, o qual foi descartado após a coleta de exames”, afirma. Ela conta que no início do inverno foi realizada uma ação de sensibilização no hospital orientando os funcionários e pacientes sobre os sinais e sintomas da doença bem como as formas de prevenção e a importância da vacina. “A equipe de enfermagem do Pronto Socorro está orientada a fornecer máscaras descartáveis a todo e qualquer paciente que apresente sintomas gripais, desde a triagem até a avaliação médica”, relata. Tanto na recepção quanto nos demais ambientes do hospital há ainda dispensadores de álcool gel disponíveis para a higiene de mãos.

O que é Influenza?

A influenza é uma infecção viral aguda que afeta o sistema respiratório. É de elevada transmissibilidade e distribuição global, com tendência a se disseminar facilmente em epidemias sazonais e também podendo causar pandemias. A transmissão ocorre por meio de secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir, espirrar ou pelas mãos.

A doença pode ser causada pelos vírus influenza A, B e C. Estima-se que, em média, as cepas A causem 75% das infecções. O H1N1 é um subtipo do Influenza A.

Quais os sintomas?

A síndrome gripal, que se caracteriza pelo aparecimento súbito de febre, cefaleia, dores musculares (mialgia), tosse, dor de garganta e fadiga, é a manifestação mais comum. Nos casos mais graves, geralmente, existe dificuldade respiratória e há necessidade de hospitalização.

As crianças com idade entre um e cinco anos são as principais fontes de transmissão dos vírus na família e na comunidade, sendo que podem eliminar os vírus por até três semanas. A vacinação contra é uma das medidas mais efetivas para a prevenção da influenza e suas complicações.

Outras medidas para prevenir gripes e resfriados:
- Lavar as mãos com água e sabão ou, ainda, álcool 70%, principalmente após tossir e espirrar.
- Utilizar lenços descartáveis;
- Deixar o ambiente sempre ventilado;
- Cobrir boca e nariz sempre que espirrar ou tossir;
- Não compartilhar objetos de uso pessoal, como garrafas, copos e talheres;
- Evitar contato com pessoa doente, evitando abraços, beijos e apertos de mão;
- Evitar aglomerações em épocas em que o número de casos da doença for alto.

Fonte: Informe Técnico - Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza/MS, abril de 2018.
 



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA