Geral
08/07/2018 13:12:33, escrita por SERRANOSSA

Secretaria de Saúde orienta sobre vacinação contra sarampo e poliomielite

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo iniciou na última segunda-feira. dia 6, em todo o país, e segue até o dia 31 de agosto de 2018. O objetivo é vacinar 95% de todas as crianças com idade entre maiores de um ano e menores de cinco anos. Esse número corresponde a cerca de 4.600 crianças nessa faixa etária em Bento Gonçalves. 

No município, as doses serão aplicadas nas unidades de saúde de segunda a sexta, das 7h30 às 11h e das 13h30 às 17h. Além disso, entre as ações está programado o dia “D”, no sábado, 18 de agosto, quando as unidades de saúde estarão abertas das 8h às 17h sem fechar ao meio-dia (exceto unidades de São Valentim, Tuiuty, 15 da Graciema, Faria Lemos, Maria Goretti e Cohab II).

Poliomielite

A poliomielite é uma doença viral, caracterizada por um quadro de paralisia muscular, que inicia de forma súbita. A paralisia motora, em geral, acomete os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principal característica a flacidez muscular, e a ausência de reflexos no membro atingido.

Para combater a paralisia infantil (ou poliomielite), o calendário vacinal do Brasil conta com duas vacinas: a vacina injetável da poliomielite que passou a ser aplicada em todas as crianças menores de um ano (um esquema de três doses, aplicadas aos dois, quatro e seis meses de vida), no ano de 2012, e a vacina oral contra a poliomielite, também conhecida como "gotinha", administrada aos 15 meses de vida e aos quatro anos de idade.

Sarampo

O sarampo é uma doença que causa febre e manchas avermelhadas (também chamadas de exantema) por todo o corpo. Ele costuma ser acompanhado de um ou mais dos seguintes sintomas: tosse, coriza, ou conjuntivite. Todo indivíduo que, independente da idade e da situação vacinal, apresentar esses sintomas deve procurar atendimento nos serviços de saúde, tomando o cuidado para evitar contaminar outras pessoas. Não existe um medicamento específico para tratar o sarampo. Nos casos mais graves, o sarampo pode causar pneumonia, encefalite e morte.

Embora popularmente conhecida como vacina contra o sarampo, essa vacina protege, na realidade, contra três tipos de doenças causadas por vírus: o sarampo, a caxumba e a rubéola. Por essa razão, ela também é conhecida como vacina triviral. De acordo com o Calendário Nacional de Imunizações do Brasil, a vacina deve ser aplicada em todas as crianças na idade de um ano, e, novamente, aos 15 meses de idade, quando é aplicada junto com a vacina contra a varicela.A vacina triviral também é recomendada para todos os adolescentes e jovens até 29 anos (duas doses), e para adultos de 30 a 49 anos (uma dose).

Pessoas que pretendem viajar para países e estados brasileiros (Roraima e Amazonas) onde estão ocorrendo surtos ou epidemias de sarampo, devem verificar a sua situação vacinal e, caso ainda não tenham sido vacinadas, devem procurar uma unidade de saúde para receber a dose, com, pelo menos, 15 dias de antecedência à data da viagem.

Carteira de Vacinação

É importante que os pais guardem cuidadosamente a carteira de vacinação de seus filhos. Nela, são registradas todas as doses de vacina aplicadas durante a vida. É a partir dela que as unidades de saúde conseguem avaliar quais vacinas estão em dia, quais as que estão faltando, e se há necessidade de serem aplicadas doses de reforço - como, a vacina antitetânica, por exemplo, que é aplicada a cada dez anos.

Dúvidas

O que acontece se não tiver certeza de que a criança foi vacinada?
As pessoas que ainda possuem a carteira de vacinação dos filhos devem procurar as unidades de saúde do município, portando esse documento. A carteira será avaliada pelos vacinadores e, se houver necessidade, as vacinas que estão em falta, ou que estiverem em atraso, serão aplicadas. Se, entretanto, a pessoa não sabe, não lembra, ou nos casos em que ela tenha perdido a carteira de vacinação de uma criança, será necessário conversar com os vacinadores a fim de determinar quais vacinas deverão ser aplicadas.

Quando ocorreram os últimos casos de poliomielite e de sarampo na cidade? Existem casos ou suspeitas recentes da doença aqui?
A fim de monitorar a ocorrência de poliomielite e de sarampo em Bento Gonçalves, a Vigilância Epidemiológica da secretaria municipal de Saúde, investiga todos os casos notificados de paralisia flácida aguda, bem como, de doença exantemática febril. Entre 1998 a 6 de agosto de 2018, por exemplo, foram investigados 277 casos de doença exantemática febril no município. Não houve nenhum caso de sarampo confirmado até a presente data. Um caso continua em investigação, aguardando resultados laboratoriais. Neste mesmo período, foram investigados 11 casos de paralisia flácida aguda, sendo todos descartados para poliomielite. A confirmação de um caso suspeito de poliomielite e de sarampo é feito através de exames laboratoriais, realizados gratuitamente pela secretaria de Saúde.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA