Segurança
05/09/2018 19:02:01, escrita por Greice Scotton Locatelli

Brigada Militar: projeto-piloto trará tecnologia para agilizar atendimento de ocorrências

Imagine uma ocorrência em que a Brigada Militar é acionada. Enquanto a viatura se desloca, um computador acessa as câmeras de videomonitoramento próximas e vê a cena em tempo real. Simultaneamente, com apenas um clique, outros órgãos podem ser acionados – como Bombeiros, Samu, Polícia Civil ou Polícia Rodoviária, conforme a necessidade. Durante o atendimento, os policiais consultam a identidade de um dos envolvidos e descobrem que ele é procurado em outro Estado e que o carro que dirige é roubado. Rápido e preciso. 

Parece uma cena de filme do futuro, mas não é. O sistema que permite tudo isso já existe e está sendo implantado em Bento Gonçalves – o lançamento ocorreu na última terça-feira, dia 8, na sede do 3º Batalhão de Policiamento de Áreas Turísticas (3º Bpat). 

A Brigada Militar de Bento será a primeira a operar o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública – Central de Atendimento e Despacho (Sinesp – CAD) no Rio Grande do Sul – em Porto Alegre, o teste está sendo feito com a Guarda Municipal. Criado e mantido pelo governo federal, o sistema já funciona em outros nove Estados brasileiros e demandou um investimento de R$ 4 milhões somente no desenvolvimento.

A ferramenta visa otimizar o cadastro de ocorrências e despacho de equipes da BM e permitirá a integração entre diferentes órgãos de segurança pública que atendem urgências e emergências – acionados por telefones de três dígitos, como 190 (BM), 191 (Polícia Rodoviária Federal), 192 (Samu) e 193 (Bombeiros) – e que estejam vinculados ao sistema. 


“Este é um projeto-piloto que será personalizado para atender as demandas regionais. Não é possível precisar quando 100% da integração estará concluída, mas certamente é um grande passo para agilizarmos o atendimento de ocorrências, buscarmos a excelência e para atendermos de forma mais rápida e mais eficaz a comunidade de Bento Gonçalves”, comenta o major Álvaro Martinelli, comandante do 3º Bpat.
O Sinesp também permite consulta de informações de bases de dados de todo o Brasil.

 



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA