Vida & Estilo
08/04/2017 16:00:10

Conheça sete hábitos que podem estar sugando a sua energia

Hábitos e atitudes do dia a dia fazem toda a diferença na disposição, tanto para as atividades cotidianas quanto para praticar exercícios físicos. E esses hábitos vão muito além das horas de sono, quantidade e ritmo de trabalho de cada pessoa, sua postura e até aquele "inocente" cafezinho em um momento de intervalo do trabalho podem estar sugando as suas energias. Também é importante saber ler os sinais que o seu corpo dá de que algo não está funcionando corretamente ou está demandando muita energia. "A partir do momento que você se lembra de alguma parte do seu corpo, você está desprendendo energia a mais para o seu funcionamento, da mesma forma que uma pessoa com um ataque de asma se lembra de respirar e isso está demandando maior esforço dela", diz o angiologista e cirurgião vascular Bruno de Lima Naves. 

Comer muito açúcar
A ingestão de qualquer nutriente de forma exagerada pode causar prejuízos ao organismo. O consumo de açúcar em grandes quantidades, por exemplo, está relacionado ao ganho de peso, obesidade, diabetes, hipertensão entre outros problemas. "O excesso se dá quando uma pessoa ultrapassa a sua capacidade de absorver aquele nutriente, mas esses limites são individuais e uma vez que são ultrapassados vão fazer mal. Como as doenças relacionadas ao consumo exagerado de açúcar são, em sua maioria, silenciosas, um importante sinal de alerta para buscar ajuda médica é se você está comendo a mesma quantidade de açúcar e ficando mais cansado", afirma Guilherme Giorelli, médico nutrólogo da Associação Brasileira de Nutrologia. 

Ingerir muita cafeína
Presente no café, chocolate, alguns chás e refrigerantes, a cafeína pode até dar uma sensação de maior disposição, mas em excesso o efeito pode ser justamente o oposto. "Se a pessoa estiver cansada e tomar cafeína, ela vai se sentir mais disposta, mas a grande questão é que essa disposição não é real. Depois de uma ou duas horas o efeito vai passar e se ela se esforçou ainda mais neste período o cansaço depois também vai ser maior", explica o nutrólogo Guilherme. Isso quer dizer que a cafeína não oferece mais energia para o corpo, pelo contrário, ela faz com que ele gaste mais energia, por isso acontece a melhora da disposição, concentração e foco, deixando a sensação de cansaço ainda maior depois do término de seu efeito. Além disso, em grandes quantidades ela está relacionada à taquicardia, hipertensão e pode afetar o sono de algumas pessoas, fazendo com que a sua ingestão não seja recomendada algumas horas antes do momento de dormir e que o uso de cápsulas do nutriente se dê com extrema cautela.

Pular o café da manhã
Não ingerir o café da manhã faz com que o corpo trabalhe mais lentamente, o que pode dificultar tanto o bom funcionamento do organismo quanto o emagrecimento e manutenção do peso. "Quando ficamos um grande período em jejum o nosso organismo entende que estamos em repouso, então ele economiza energias, só utilizando o necessário para as funções vitais. Logo, se eu não estimulo o organismo, ou seja, não faço a primeira refeição do dia de forma equilibrada, ele vai funcionar mais vagarosamente e o rendimento pode ser prejudicado", explica Solange Hypólito Siqueira Freire, nutricionista. Segundo ela, o ideal é que a pessoa consuma um carboidrato (pão, cereais, torrada, tapioca etc.), uma fonte de vitaminas (fruta ou suco de fruta) e uma proteína (ovo, frios, leite ou derivados) no café da manhã, mas, caso ela realmente não consiga, o importante é quebrar o jejum com algum destes alimentos. Com o tempo e o costume ela conseguirá fazer uma refeição completa para começar bem o dia.

Muito tempo sentado
"Você está cansado? Mas como, se passou o dia inteiro sentado?". Se você vive escutando essa frase, preste atenção! Ficar muito tempo sentado pode deixar você cansado, sim. Isso porque a musculatura da panturrilha funciona como uma espécie de "coração venoso periférico", ou seja, quando você se movimenta ela consegue mandar o sangue de volta para o coração mais facilmente. "Essa renovação do sangue é necessária para que chegue oxigênio e nutrientes em todo o organismo. Quando se fica muito tempo parado na mesma posição o sangue venoso, que deveria estar retornando para o coração, começa a ficar parado do joelho para baixo, o que gera uma sensação de perna pesada, que é confundida com um cansaço e isso é um 'vampiro' de energias", explica o angiologista e cirurgião vascular Bruno de Lima Naves. A dica para pessoas que trabalham muito tempo sentadas, além de fazer pausas, é ter uma espécie de pedal em baixo da mesa para que possam se manter em movimento. Já para quem tem que ficar muitos períodos em pé ou sem se mover a dica é alternar momentos com o pé inteiro no chão e na ponta dos dedos. 

Má postura
A má postura, seja sentado ou em pé, pode causar dores, mas até esse sinal aparecer é possível que tenha se passado muito tempo e isso acabe gerando outras complicações. "O problema é que a pessoa que tem uma postura ruim demora para sentir a dor relacionada a ela, com isso ela demora mais para romper com o ciclo, justamente por não conseguir fazer essa relação", diz o reumatologista e médico do esporte Páblius Staduto Braga. Além da má postura causar dores, que podem desencadear a sensação de cansaço, ela também prejudica a circulação. A movimentação do sangue se dá também pela diferença de pressão entre o tórax e o abdômen, então uma postura que prejudique a respiração, ou até mesmo o uso de roupas apertadas podem dificultar a circulação e acarretar na perda de energia. "Quando se faz uma dobra maior nas articulações o sangue fica congestionado, não circula corretamente então faltam nutrientes e oxigênio, deixando principalmente a perna pesada, com uma sensação de cansaço como se estivesse segurando chumbo", explica o angiologista.

Falta de exercício
Quando o corpo não se movimenta várias de suas funções são prejudicadas, desde a circulação, até a força de músculos e ossos. A falta de exercícios, inclusive, pode estar sugando a sua energia, uma vez que "um dos efeitos mais expressivos quando se começa a fazer atividade física não é nem a perda de peso, mas sim o aumento da disposição", afirma o médico do esporte Páblius Staduto Braga. Por ativar a musculatura o corpo passa a ficar mais ativo e as dores tendem a diminuir, além de melhorar a qualidade de sono, fatores que contribuem com a sensação de bem-estar e maior disposição. 

Desidratação
A desidratação acontece quando o nosso organismo perde mais água do que ele pode tolerar. Esta perda pode ser através da pele, intestino, urina ou respiração – o que causa uma alteração no equilíbrio dos sais minerais dentro do organismo, que pode alterar as funções vitais como batimentos cardíacos, contração muscular e o funcionamento cerebral. A ingestão de álcool em excesso também pode colaborar com a desidratação, uma vez que a bebida diminui a produção do hormônio antidiurético e com isso a pessoa acaba urinando mais. A desidratação também pode causar sonolência pois "o cérebro precisa de um ambiente todo equilibrado para funcionar corretamente, ou seja, glicose, sais minerais e nível de hidratação devem estar dentro do limite ideal para que as transmissões entre os neurônios aconteçam sem problemas. No caso da desidratação ocorre perda de água, e o nível de sódio e potássio se altera, o que pode levar a uma dificuldade na transmissão dos impulsos nervosos. Dessa forma existe a sensação de sonolência e lentificação que pode até progredir para o coma", diz a endocrinologista Andressa Heimbecher. Outros sintomas da desidratação são sede intensa, pele seca, boca seca, olhos sem lágrimas e fundos, ausência de suor, fraqueza, cansaço, tontura e urina de cor escura.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA