Vida & Estilo
09/01/2017 07:18:50

Yoga também para os pequenos

Diversos estudos vêm sendo feitos ao longo dos últimos anos buscando investigar os efeitos positivos do Yoga em crianças. “Alguns dados de pesquisas já publicadas demonstram que essa prática proporciona uma melhora significativa no desenvolvimento físico e motor dos pequenos (equilíbrio, coordenação, força e flexibilidade), bem como na redução dos níveis de ansiedade, estresse e depressão. Estudos apontam também para o desenvolvimento da atenção, autopercepção, autoconhecimento, autorregulação, assim como melhora no desempenho escolar, nas relações sociais e na qualidade de vida de modo geral”, explica a instrutora de Yoga Júlia Ceconi Foletto, que trabalha em escolas infantis de Porto Alegre e organiza aulões em Bento Gonçalves. 

Embora seja possível encontrar professores que já ensinam Yoga para crianças há mais de 20 anos no Brasil, a prática ainda é novidade para muitas pessoas, especialmente na região Sul. Júlia se especializou para o trabalho com crianças na Austrália, onde morou e estudou durante um ano e meio e onde o Yoga faz parte do currículo de muitas escolas. “Foi nesses cursos que eu descobri a riqueza e o valor dessa prática na vida do ser humano, mas, principalmente, a sua importância para o desenvolvimento infantil. Desde então, busquei outras formações e especializações e o Yoga se tornou tanto minha área de trabalho como de estudo”, conta. Graduada em Educação Física, Júlia atualmente cursa mestrado em Psicologia na UFRGS e pretende continuar desenvolvendo pesquisas na área.

A estrutura e a organização das aulas infantis são diferentes. “As atividades são realizadas de forma lúdica, respeitando o interesse e o desenvolvimento de cada criança ou grupo. As aulas buscam introduzir os pequenos na prática, bem como de seus princípios norteadores, de modo a despertar neles o gosto e o desenvolvimento de hábitos saudáveis desde cedo”, pontua. Além disso, as aulas possibilitam às crianças a experiência do autoconhecimento e consequentemente a aquisição de um maior controle e domínio de seu corpo, mente, emoções e comportamentos. “Considera-se também que possibilitar às crianças a vivência dessa prática é uma forma de presenteá-las com inúmeras ferramentas que lhes serão úteis em diversos contextos da vida, tanto para si quanto para sua relação com os outros e com o mundo”, explica. 

Enquanto algumas linhagens de Yoga são mais rígidas e estipulam uma determinada idade para começar a praticar, outras são bastante flexíveis, como é o caso do “baby yoga” ou “yoga mamãe & bebê”, cada vez mais populares. “O mais importante é respeitar o interesse e a preparação da criança para fazer a atividade. De acordo com minha experiência de trabalho e estudos, penso que crianças menores de três anos ainda precisam de aulas mais individualizadas, ou então realizadas juntamente com um responsável, de modo a garantir a atenção e o acompanhamento necessário para essa faixa etária”, comenta. A partir dos quatro anos, segundo ela, as crianças já se mostram mais preparadas para aulas em grupo.  “O Yoga é para todos e qualquer indivíduo pode praticar de alguma forma, seja fazendo postura, seja meditando, ou, até mesmo, colocando em prática os princípios éticos e morais do Yoga no seu dia a dia”, garante. 

As aulas para crianças de quatro a seis anos duram em torno de 40 minutos e as atividades para crianças maiores de sete anos têm duração de 1 hora. No entanto, o tempo pode variar de acordo com a faixa etária e com as características e necessidade de cada criança ou grupo. Através de histórias, jogos, brincadeiras e diferentes materiais são realizadas as posturas, massagens, técnicas respiratórias, meditações e relaxamento. Além disso, rodas de conversas tratam sobre emoções, sentimentos, e princípios morais e éticos que o Yoga traz em sua filosofia, como a gratidão, o amor e respeito ao próximo, o cuidado com a natureza. 

Os benefícios são sentidos por quem pratica e também por quem convive com as crianças. “Eu me senti mais conectado comigo mesmo e com mais paz. Eu adoro as aulas e eu aprendo muito, principalmente a me concentrar”, comenta Lorenzo, de nove anos. “Ele vem se tornando menos resistente às mudanças que surgem na vida dele. Outro detalhe que nos chama muito atenção é o respeito que ele vem desenvolvendo para com as pessoas de mais idade. Tudo isso nos deixa gratos e felizes e sabemos que ele também se sente assim”, complementa a mãe, Elisiane Andreolli. 

As técnicas aprendidas vão além do ambiente das aulas. “Minha filha depois que começou a fazer as aulas tornou-se uma criança mais centrada e equilibrada. Muitas vezes, a observo aplicando no dia a dia o que aprende nas aulas, principalmente em momentos de ansiedade e tensão”, confirma Fabiane Agostini Dolfini, mãe de Isadora, de oito anos. “Eu gosto das aulas de yoga porque elas limpam o meu pensamento, eu fico mais relaxada e elas me trazem felicidade e paz”, confirma a menina.  

Saiba mais em fb.com/julfolettoyoga



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA