Vida & Estilo
04/01/2018 10:30:09, escrita por SERRANOSSA

Seu corpo tem seis tipos de gordura: conheça cada um deles

POR AMANDA CRUZ 
Fonte: portal Minha Vida 
(www.minhavida.com.br) 

É comum, quando se fala de gordura, fazer uma associação com aquele acúmulo de tecido adiposo em regiões como abdômen, coxas, glúteos ou braços. De fato essa gordura existe e, em excesso, pode causar prejuízos à saúde, mas ela não é a única presente no organismo – existem outros cinco tipos com funções e importância distintas. Confira quais são as verdadeiras inimigas e as poderosas aliadas do seu corpo e da sua saúde. 

1. Gordura essencial 
Como o próprio nome diz, essa gordura é extremamente importante para o funcionamento do corpo. "A gordura essencial é encontrada nos órgãos e tecidos, incluindo nervos, cérebro, coração, pulmões, fígado e glândulas mamárias, aquela que serve como substrato energético para os órgãos, tendo função de isolante térmico, reserva energética", explica a nutricionista Thatiana Ferreira. 

2. Gordura branca 
Um pouco mais perigosa, essa gordura costuma acumular-se pelo corpo. "Aparece em maior quantidade quando abusamos de uma dieta mais calórica e não fazemos nenhuma atividade física. É a gordura responsável pela maior reserva de triglicerídeo do corpo", diz Thatiana. 

Sabe a gordurinha localizada? Então, é a gordura branca, aquela insistente que não some por (quase) nada. "A gordura branca é aquela acumulada debaixo da pele, mais difícil de sair. Por outro lado, ela serve de proteção principalmente para os órgãos, absorvendo impactos do dia a dia", diz a nutricionista Pâmela Sarkis. Mulheres têm mais tendência a acumular gordura branca do que os homens. 

3. Gordura marrom 
Essa é considerada a gordura boa. É responsável pelo isolamento térmico do organismo, no qual estimularia a queima calórica e, consequentemente, o emagrecimento. Ou seja, se você está com frio, essa gordura trabalha para aquecer o seu corpo queimando calorias. Inclusive, um estudo de Harvard mostrou que, de fato, essa gordura é ativada pelo frio, afetando diretamente o estoque da temida gordura branca. 

4. Gordura bege 
Esse tipo de gordura é capaz de transformar a gordura ruim em gordura boa. "Sua origem é a gordura branca e a principal fonte de ativação destas células é uma molécula chamada irisina. Pesquisas atuais feitas em camundongos trazem indícios de que a irisina seja liberada durante a prática de exercícios, estimulando o corpo a queimar gordura", explica Thatiana. É isso mesmo que você entendeu: malhar não só vai ajudar a queimar a gordura branca, como também pode transformar gordura branca em marrom. 

5. Gordura subcutânea 
"A gordura subcutânea se localiza logo abaixo da camada mais externa da pele. Esta é a que você pode beliscar com os dedos. A gordura subcutânea cobre os músculos abdominais e, se você tem muita, não será capaz de ver os seus músculos abdominais", explica. Para não acumular em excesso, é necessário praticar exercícios. 

6. Gordura visceral 
Essa gordura precisa ser acompanhada com cuidado e atenção. Isso porque a gordura visceral está localizada atrás da parede abdominal, nos órgãos e no interior da cavidade peritoneal. E afeta de forma negativa a saúde, aumentando o processo inflamatório do organismo. Em parte, porque ele libera substâncias chamadas adipocinas, que são proteínas de sinalização celular que aumentam a pressão arterial e influenciam a insulina. 

Essa gordura também diminui a quantidade de adiponectina no corpo, um hormônio essencial para a queima de gordura, que ajuda a acelerar o metabolismo. A combinação da diminuição da sensibilidade à insulina, hipertensão e triglicérides elevadas, muitas vezes pode resultar em aterosclerose, colesterol elevado LDL (o tipo ruim) e é um fator importante para o desenvolvimento de diabetes. 

No entanto, apostar somente nos tratamentos estéticos não é o indicado, pois pode haver um novo acúmulo de gordura na região tratada. “A alimentação adequada vai contribuir para que o estoque de gordura não se reponha e a atividade física vai potencializar os resultados com o gasto energético”, ressalta a nutricionista.
 



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA