• Envase
  • Debianchi
  • Tacchini
  • Naturepet Pharma
  • Posto Ravanello
  • Vinícola Garibaldi

Aos oito anos, menino de Bento completa 55km de bicicleta até Caravaggio

  • Vinícola Garibaldi
  • Tacchini
  • Envase
  • Naturepet Pharma

O pequeno apaixonado por pedal João Antônio Menegotto arrancou sorrisos dos fiéis na última Sexta-feira Santa, ao completar, acompanhado dos pais, seu maior trajeto de bicicleta até o momento

Fotos: arquivo pessoal

Ir e voltar de bicicleta até o Santuário de Caravaggio, em Farroupilha, já virou rotina entre muitos amantes do pedal de Bento Gonçalves, principalmente na Sexta-Feira Santa. Mas, quando a viagem é feita por um menino de apenas oito anos, a história ganha um toque especial. O pequeno João Antônio Menegotto decidiu embarcar pela segunda vez nessa aventura, desta vez fazendo um percurso ainda mais longo. Acompanhado dos pais, Márcia Lauriano e Diogo Menegotto, João Antônio percorreu 55km na última sexta-feira, 15/04, arrancando sorrisos sinceros de fiéis que também completavam o trajeto – a pé, de bicicleta ou mesmo de carro. “Passamos por vários fiéis e todos ficavam empolgados e vibravam”, conta a mãe.

João se interessou pelo ciclismo ainda quando era bem pequeno, ao ganhar a primeira bicicleta de presente. Além disso, sempre gostou de caminhar, correr e fazer trilhas. Em 2019, quando os pais criaram o hábito de pedalar, João logo externou a vontade de acompanhá-los em distâncias mais longas. “Então prometemos que, quando completasse sete anos, ganharia uma bicicleta de marcha. Acabamos comprando antes, pois ele andava muito com aquela que tinha e ela já estava ficando pequena”, conta Márcia.

Desde então, o menino passou a acompanhar os pais a passeios até o interior de Bento Gonçalves, com distâncias chegando até 20km. No ano passado, a família decidiu embarcar no primeiro pedal mais longo, até Caravaggio. “Ele mesmo separou uma mochila com água, frutas e, claro, chocolate, porque ele diz que dá energia. Também colocou uma cordinha para que nos morros o ‘papai’ amarasse na bicicleta dele e o puxasse morro acima se fosse necessário”, recorda a mãe. Nessa primeira aventura, foram 42km ida e volta. “Meu sogro foi com um carro de apoio caso precisasse, mas quem precisou fui eu e não ele”, brinca.

Neste ano, a ideia era superar a quilometragem anterior. “Para ser mais empolgante, decidimos ir por um trajeto mais longo, com a estrada melhor e com pouco movimento. Compramos uma bicicleta nova para ele, com mais marchas, com freio a disco e suspensão. Tudo certinho para uma melhor pedalada”, conta Márcia.

Assim como a distância, a empolgação de João também foi maior. Mesmo com os desafios, o menino chegou tranquilamente ao Santuário, “agradeceu e rezou igual gente grande”, revela a mãe, orgulhosa. “A experiência foi desafiadora, mas acima de tudo incrível, enchendo nossos corações de orgulho. Meu esposo até eternizou este momento, tatuou a igreja e os dois chegando de bicicleta”, revela.

Hoje, a família já se programa com novas aventuras, sendo motivados pela alegria e entusiasmo de João – o menino sequer deixa os pais venderem sua primeira bicicleta, pois fala que, quando ficar famoso, quer mostrar para as pessoas a bicicleta que aprendeu a pedalar.

Para a mãe Márcia, o tempo que passam juntos nos pedais se reflete em bons momentos em família e em uma oportunidade de conhecer lugares e pessoas novas. “É também uma forma de mostrar para ele que é necessário ter uma válvula de escape para se desconectar deste mundo corrido e poder ser livre para aproveitar as coisas simples da vida”, finaliza.