Bento irá receber R$ 8,1 milhões por venda de ações da Corsan; novas obras devem iniciar em breve

A construção da estação de tratamento do Lago da Fasolo, localizado no bairro Progresso, deve começar em breve, segundo gestores da autarquia; o SERRANOSSA questionou o prefeito de Bento Gonçalves de o que motivou a venda das ações e onde o valor será investido

Foto: Diogo Zanetti

O governo estadual oficializou, em solenidade realizada no Centro Administrativo Fernando Ferrari, na última sexta-feira, 21/07, o pagamento aos municípios que optaram pela alienação das ações da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) em conjunto com o Estado. O vice-prefeito de Bento Gonçalves, Amarildo Lucatelli (Progressistas) – na oportunidade atuando como prefeito em exercício -, e o secretário de Governo, Márcio Possamai, estiveram na solenidade. No total, Bento irá receber R$ 8.127.993,16.

Durante o processo de privatização, o Estado cedeu ações da Corsan aos municípios que decidiram assinar os termos aditivos para a extensão do prazo dos seus contratos com a companhia, conforme previsto na Lei Estadual 15.708/21. Do total de 307 municípios com contratos válidos, 76 adotaram os termos. Desses, 50 optaram pela alienação das suas ações em conjunto com o Estado, durante o leilão em que a companhia foi adquirida pelo grupo Aegea, em dezembro de 2022, por R$ 4,15 bilhões.

No encontro, o governador Eduardo Leite (PSDB) salientou que a parceria dos municípios, que são os detentores da titularidade dos serviços de saneamento, foi essencial para que o processo de privatização se concretizasse. A manutenção dos contratos tornou a companhia atrativa para os investimentos da iniciativa privada, como lembrou o governador. “A complexidade da governança do saneamento exigia que, neste processo de privatização, tivéssemos um alinhamento de expectativas e incentivos para que pudéssemos caminhar junto com os municípios nesta jornada. Aos prefeitos que, assim como o Estado, entenderam que precisávamos avançar com a inclusão do setor privado no caminho da universalização, foi cedida participação no processo da venda, aprovada em lei”, detalhou.

Os recursos repassados viabilizarão investimentos e melhorias nos municípios, como destaca Lucatelli. “Importante recurso para investir nas melhorias em nossa cidade. Além disso, seguiremos buscando a ampliação do abastecimento de água e a despoluição do Lago da Fasolo. Sempre com melhores serviços para a comunidade.”

Foto: Governo RS

Por que vender as ações?

Voltando das rápidas férias, o prefeito Diogo Siqueira (PSDB) reforçou o motivo de o município ter aceitado realizar a venda das ações. “Bento foi um dos únicos municípios da Serra que assinou esse aditivo. O nosso principal motivo é que, nos últimos anos, a Corsan não realizou os investimentos necessários para as cidades de médio-porte, principalmente. Temos muitas deficiências ainda em saneamento, mas, principalmente, em épocas como no verão, que a falta de abastecimento de água é constante. Entendemos que a privatização era a melhor forma de buscar melhores serviços para o nosso cidadão”, destaca.

Ainda sobre a privatização da autarquia, Siqueira afirma que essa foi a forma que o governo estadual encontrou de sanar antigos problemas, mas também salientou que a cobrança por melhorias dos serviços para a população continuará. “Acredito que é preciso buscar o melhor serviço para nossa população. E a privatização foi o caminho encontrado para isso. Como Poder Público, seguiremos cobrando a melhoria no abastecimento de água, saneamento e a despoluição do Lago da Fasolo.”

Onde investir?

Segundo o prefeito, o recurso já tem destino. “O valor será muito importante para seguirmos efetuando investimentos na cidade. A grande parte é recurso livre para investimentos na saúde, educação, na melhoria da infraestrutura. Nossa prioridade será poder avançar nas obras do Hospital Público [localizado junto a UPA 24h], que está em andamento e poder melhorar as condições de trafegabilidade nas vias”, disse.

Ainda de acordo com Siqueira, o ‘problema Lago da Fasolo’ também deve ter a devida atenção. “A despoluição do lago do bairro Progresso é um processo antigo que estávamos buscando junto a Corsan, e agora a nova empresa [Aegea] já colocou como prioridade esse processo e irá realizar a contratação emergencial da empresa para as obras no local.”

Por falar em lago….

Foto: Diogo Zanetti

No dia 18 de julho, em reunião promovida pela Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Bem-Estar Social da Câmara de Vereadores de Bento, o superintendente Regional da Corsan, Lutero Cassol, e a gestora da unidade local da Corsan, Roseani Leal dos Santos, anunciaram que obras de rede coletora, saída de esgoto bruto, linha de recalque e da estação de tratamento de esgoto do Lago da Fasolo serão executadas em breve. A iniciativa faz parte de um plano da Aegea, nova gestora da Corsan, para os 100 primeiros dias de operação. “A [estação de tratamento] do Lago Fasolo vai sair, a empresa está contratada em caráter emergencial e está se inteirando do projeto executivo e em breve anunciaremos o início das obras”, disse Lutero ao ser questionado pelos parlamentares. 

Também durante a reunião, Lutero e Roseani reforçaram e solicitaram aos vereadores para ajudarem a divulgar que a distribuição de serviços à comunidade será realizada somente mediante protocolo do cliente, que pode ser feito através dos canais da internet, aplicativo ou pelo 0800 646 6444. “Não há mais possibilidade de envio direto por mensagens e ligações, como consertos de vazamentos, entre outros, para que se tenha celeridade no atendimento e que o sistema priorize as demandas, tudo deve ser via protocolo e não como era anteriormente”, enfatizaram os gestores.