• Posto Ravanello
  • Vinícola Garibaldi
  • Naturepet Pharma
  • Envase
  • Debianchi

Brasil teve 180,3 mil novas vagas de emprego em janeiro de 2024, segundo Caged

  • Vinícola Garibaldi
  • Naturepet Pharma
  • Ótica Debianchi Lente em Dobro
  • Envase

O Rio Grande do Sul gerou 20,8 mil postos de trabalho, principalmente na agropecuária (10.700) e indústria (6.834)

Foto: Agência Brasil

Os dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Novo Caged), relativo ao mês de janeiro, foram divulgados nesta sexta-feira, 15/03, pelo ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, em entrevista coletiva. De acordo com os dados apresentados, o saldo de empregos do mês de janeiro de 2024 foi de 180.395 postos de trabalho, resultante de 2.067.817 admissões e 1.887.422 desligamentos no mês, ficando o saldo positivo em 25 das 27 unidades de federação.

Em janeiro de 2024, o estoque total recuperado para o CAGED foi de 45.697.670 postos de trabalho, ficando positivo em 4 dos 5 grandes grupamentos de atividades econômicas com saldos positivos no mês.

O maior crescimento do emprego formal ocorreu no setor de Serviços, com um saldo de 80.587 postos formais de trabalho (+0,4%), com destaque para Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, com saldo de 47.352 postos no mês. O segundo maior gerador de postos de trabalho foi a Indústria, com saldo de 67.029 postos formais de trabalho (+0,8%), seguido da Construção Civil, saldo de 49.091 (+1,8%) e a Agropecuária, que gerou 21.900 postos de trabalho (+1,2%). O Comércio foi o único com resultado negativo no mês de janeiro, com perda de 38.212 postos de trabalho (-0,4%).

Entre as Unidades da Federação, os maiores saldos ocorreram em São Paulo, com geração de 38.499 postos (+0,3%), com destaque para indústria (+25.249); Santa Catarina, que gerou 26.210 postos (+1,1%), principalmente na indústria (+14.257); e Rio Grande do Sul, com geração de 20.810 postos (+0,8%), principalmente na agropecuária (10.700) e indústria (6.834). Os menores saldos foram registrados no Maranhão, com perda de 831 postos, Pará (-111 postos) e no Acre (-33 postos).