• Vinícola Garibaldi

Brasileiro é agredido e morto após briga em praia de Portugal

  • Posto Ravanello
  • Vinícola Garibaldi

Bruno Ribeiro, 22 anos, nascido em Goiânia, morava no país há cinco anos

Foto: Redes sociais

Um brasileiro foi morto no domingo, 03/03, após um desentendimento com o cozinheiro de um restaurante na praia de Carcavelos, em Portugal. Bruno Ribeiro, 22 anos, nascido em Goiânia, morava no país há cinco anos. O caso é investigado pela Polícia de Segurança Pública de Portugal.

Gabriela Escalante, namorada do brasileiro, contou ao portal g1 que ela, Bruno e um amigo estavam comendo e bebendo no restaurante. De acordo com Gabriela, o cozinheiro se aproximou do Bruno e do amigo dele e começaram uma discussão.

Ainda segundo a jovem, apesar dos pedidos do amigo de Bruno, a discussão se intensificou e que o cozinheiro pegou um pedaço de pau e deu dois golpes na cabeça de Bruno. 

Questionada sobre o motivo da briga, a namorada de Bruno disse que não sabe, pois não estava perto deles quando a discussão começou. Segundo Escalante, a vítima morreu no local. Ela disse ainda que o cozinheiro foi preso.

A mãe do brasileiro, Elizete Ribeiro, aguarda a conclusão dos trâmites de emissão do passaporte para viajar e acompanhar o sepultamento do filho. Segundo o advogado que acompanha a família no caso, Frederico Marinho, uma sobrinha da mulher irá acompanhá-la devido à fragilidade emocional do momento. Desde a mudança de Bruno para Portugal, Elizete não viu mais o filho pessoalmente.

Ao solicitar o passaporte, Elizete optou pela opção de “urgência”, que não seria a mais indicada pela Polícia Federal (PF) em casos como esse. Em nota, a PF afirmou que atendeu prontamente a solicitação da mulher, mas a opção escolhida por ela exigiu um prazo maior para a emissão dos documentos. 

Segundo o advogado, a tendência é de que, com a chegada dos passaportes, a viagem aconteça nesta quarta, 06/03. “Também dependemos da ajuda do governo brasileiro para que elas possam entrar com esses passaportes em Portugal”, disse o advogado.

Em nota, o Ministério das Relações Exteriores afirmou que está à disposição para prestar assistência consular aos familiares de Bruno.

Nota do Itamaraty

O Ministério das Relações Exteriores, por intermédio de sua rede consular em Portugal, permanece à disposição para prestar assistência consular aos familiares do nacional brasileiro.

Em caso de falecimento de cidadão brasileiro no exterior, os consulados brasileiros poderão prestar orientações gerais aos familiares, apoiar seus contatos com o governo local e cuidar da expedição de documentos, como o atestado consular de óbito, tão logo terminem os trâmites obrigatórios realizados pelas autoridades locais. O traslado dos restos mortais de brasileiros falecidos no exterior é decisão da família e não pode ser custeado com recursos públicos, à luz do § 1º do artigo 257 do decreto 9.199/2017.

Fonte: Estadão