Ainda não terminou

Por: Greice Scotton Locatelli | 10/11/2018 06:00:17

Talvez você já tenha visto aquele meme que circula nas redes sociais com a frase “Quando esse mês acabar, eu vou sentar no sofá e dizer: o que foi isso, mano?”. Eu fiz isso no último domingo, depois que a apuração do primeiro turno das eleições presidenciais terminou. E aposto que essa também foi a sensação que dominou outros jornalistas, sobretudo os incumbidos de desvendar fake news (notícias falsas) – que desafio em um ano como esse! Agora é respirar fundo e encarar mais alguns dias até o segundo turno e o que vem por aí. 

Repare que eu não estou avaliando o resultado, tampouco defendendo quem quer que seja. Este é um texto sobre as brigas que vêm ocorrendo, não escrito para causá-las.

Sem dúvida, essa está sendo uma eleição emblemática. Sem precedentes. Insana, eu diria. Um pleito em que eleitores se agridem (verbal e fisicamente) em defesa de A, B ou C, em que candidatos mais brigam do que apresentam propostas, em que amizades são desfeitas e famílias cancelam almoços de domingo por causa de política. “Polarização” é a palavra chique para definir o que tem acontecido. Mas, para mim, certas situações beiram o bizarro e boa parte disso ganha força justamente nas redes sociais, o cenário para os mais grotescos embates.

Discussão saudável é bem-vinda. Mas discussão tipo as que temos visto no Facebook, por exemplo, nem precisariam existir, já que não levam a nada e só servem para demonstrar o quanto o ser humano está perdido em relação ao respeito. O mesmo vale para material compartilhado via aplicativos de mensagem, como o WhatsApp. Quanta criatividade por parte de quem cria um mar de besteiras de todo dia e – pior – quanta ingenuidade de quem compartilha cegamente. 

A seguir, algumas das “pérolas” que surgiram no primeiro turno: 

“Não vá votar usando blusa de tal cor porque o mesário vai saber em que candidato você vai votar e anular o seu voto fazendo um rabisco ao lado da sua assinatura”

“Se você quiser votar no candidato tal, deve comparecer às urnas somente no dia seguinte da eleição e ganhará uma semana de folga do trabalho para isso”

“Se a maioria dos eleitores votarem nulo, a eleição é cancelada e todos os candidatos são impossibilitados de concorrer novamente”

Eu tenho acompanhado sites dedicados exclusivamente a esclarecer o que é verdade ou mentira nessas eleições e cada dia surge uma bizarrice diferente. E digo mais: 99,9% do que é apurado acaba se mostrando falso. E é justamente isso que circula livremente em aplicativos de mensagem e que as pessoas seguem compartilhando sem pudor.

Depois dessas eleições, mais do que nunca, eu não acredito em nada do que recebo via internet. Sim, eu sei que é radical e corro o risco de desconsiderar coisas importantes. Mas, por enquanto, é necessário para manter um equilíbrio emocional mínimo. E depois que essa “festa da democracia”, que mais pareceu uma guerra marcada pelo desrespeito, terminar e a vida voltar à normalidade, talvez você também sente no sofá e diga: “o que foi isso, mano?”.

Espero, de coração, que essa anormalidade transpasse a baderna e a falta de respeito e sirva para mostrar que estamos exaustos de pagar o pato pela incompetência de quem governou e governa esse país. E – repito – essa não é uma crítica a um candidato ou partido específico, mas a um sistema que deixamos que se criasse pela nossa inércia e que hoje nos consome um pouco mais a cada dia.

Que venha o segundo turno e toda a bizarrice típica deste ano eleitoral. E que tenhamos paciência e discernimento para aguentar.


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Greice Scotton Locatelli

Greice Scotton Locatelli

 



Editora-chefe do Grupo SERRANOSSA desde 2010, é formada em Comunicação Social - Habilitação Jornalismo, pela Unisinos, e tem na Língua Portuguesa e na Fotografia duas de suas maiores paixões.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.



Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 681
10/11/2018 08:00:42
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA