Quando Te encontrei

Por: Padre Ezequiel | 22/10/2018 09:00:15

Onde encontro Deus? Eu O encontro ou Ele me encontra? Nesse caminho há sempre duas vias: o ser humano que sai em busca e Deus que vem ao encontro. É um movimento de duas liberdades. Da parte de Deus sempre há desejo de encontro, mas o ser humano pode se fechar. Por isso, dá para dizer que a iniciativa do encontro é sempre de Deus, que coloca em todos os corações humanos o desejo de encontrá-Lo. Nos dias de hoje, muitas pessoas esqueceram Deus e já não desejam encontrá-Lo. Contudo, Deus continua querendo encontrar todos os seres humanos. Por isso, dizer "quando Te encontrei" não é colocar em mim a iniciativa para o encontro com Deus, mas perceber que "Deus me encontrou" quando me deixei encontrar.

O encontro com Deus pressupõe sempre o encontro consigo mesmo. Precisamos perceber que a história, as pessoas, os relacionamentos, as decisões nos marcam positivamente ou negativamente. Se marcam positivamente, encontramos alegria e satisfação pela memória desses acontecimentos e cada retorno a essas memórias é fonte de energia e superação. A apresentação bem feita na escola, a formatura, o encontro com a pessoa amada, o casamento, a viagem, o início da empresa que deu certo, são exemplos de memórias positivas. Se marcarem negativamente, forma-se uma ferida que pode acompanhar a vida por muito tempo. Se eu encarar essa ferida como minha, ocupar-me dela, buscar saber os motivos que a formaram, olhá-la com amor, então poderei perceber que essa ferida me tornou mais humano e sem ela não seria quem sou. Muitas pessoas tentam esconder ou negar essa ferida e, por isso, vivem com medo, com irritação e agressividade ou ainda se tornam apáticos diante da vida. Quando a vida se apresenta difícil e as feridas que foram sendo construídas em nossa história continuam a doer e nós não as encaramos para curá-las, não há encontro conosco mesmos e, muito menos, com Deus.

Quase sempre pensamos que para encontrar Deus precisamos estar limpos. Que precisamos viver sem pecados e só assim somos dignos de Deus. Essa compreensão não condiz com a realidade humana. Nós somos pecadores e limitados. Há sempre em nós o lado sombrio, feio, débil, que normalmente queremos esconder dos outros, de nós mesmos e de Deus. Ocorre que é exatamente ali, onde nos sentimos mergulhados na lama, o lugar do nosso encontro com Deus. Quando nos apresentamos a Ele na humildade e com nossos lados sombrios, podemos fazer um encontro verdadeiro e restaurador com o Seu amor. Aquilo que era feio e débil é então o que nos torna fortes e serenos pela acolhida da graça que nos alcançou. Por isso, encontrar Deus é sempre encontrar-se consigo mesmo. Lá onde eu não queria encontrar-me comigo mesmo, lá onde estava a minha fraqueza e minha sombra, Deus me encontrou. Eu me deixei encontrar e percebi que sou o que sou diante Dele. Eu sempre filho e Ele sempre Senhor.  
 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Padre Ezequiel

Padre Ezequiel

Sacerdote da Diocese de Caxias do Sul (RS), padre Ezequiel é cantor e compositor e lidera o projeto "Despertai para o Amor", de evangelização através da música e dos meios de comunicação. Já lançou seis CDs e um DVD e roda o Brasil com shows musicais, palestras, missas e pregações. Apresenta diariamente a reflexão "Despertai para o Amor" em mais de 250 rádios de 19 Estados do Brasil e o programa semanal "Despertai para o Amor" na TV Evangelizar e na TV Nazaré. É editor da Revista "Despertai para o Amor", de circulação trimestral, e autor do livro "Beber na fonte do amor: como a misericórdia humaniza e traz verdadeira alegria" (Edições Loyola).



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.



Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 736
14/11/2019 06:00:47
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA