O “Felis” Natal do Jaburú

Por: Greice Scotton Locatelli | 14/12/2018 06:00:58

Jaciara é uma cidade do Estado do Mato Grosso com pouco mais de 26 mil habitantes. Nesta semana, ganhou uma visibilidade enorme nas redes sociais depois que o cortador de grama da cidade, cujo apelido é “Jaburú”, resolveu fazer diferente e escrever “Feliz Natal”. Só que ele cometeu um erro e escreveu “Felis”, com s. 

Eu me dei ao trabalho de ir a fundo nesta história e conversei com funcionários da prefeitura de lá. Uma delas me contou que a iniciativa partiu dele mesmo e que só se deu conta de que a letra estava errada quando pessoas que passavam pelo local começaram a tirar fotografias e rir – foi quando decidiu desfazer a arte. A repercussão (negativa) em grupos de WhatsApp e em redes sociais foi imediata, já que a área é bastante movimentada, mas Jaburú só ficou sabendo do fato quando foi a uma padaria e um conhecido mostrou as imagens – ele não tem celular. 

Ao tomar conhecimento, a prefeitura publicou um post parabenizando o funcionário pela proatividade (imagem ao lado) e minimizando o erro ao alegar que todos estamos sujeitos a cometê-los. Aí a repercussão se inverteu: alcançou mais de 17 mil compartilhamentos – quase o dobro de curtidas que a página tem – e rendeu mais de 5 mil comentários, a esmagadora maioria apoiando tanto a atitude do colaborador quanto a do Poder Público. “Repudiamos qualquer piada feita diante desta situação”, avisava a publicação.

O medo de Jaburú de perder o emprego se transformou em alegria no dia seguinte, segundo a colaboradora com quem conversei, quando ele foi chamado na Assessoria de Imprensa e viu as manifestações de apoio na postagem.

Erros de português sempre me irritaram, mas esse caso é diferente. É preciso valorizar atitudes simples e sinceras como a que o funcionário da prefeitura mato-grossense teve. Mais do que isso, é necessário espalhar essa empatia para que outras pessoas também se deem conta de que estamos todos no mesmo barco – imperfeitos, suscetíveis a acertos e erros e humanos. Ontem foi o Jaburú que escreveu feliz com S, hoje posso ser eu a cometer uma falha muito mais grave – e que prejudique muito mais do que a Língua Portuguesa –, amanhã você. Ninguém está livre disso. 

O fato é que julgar os outros sem se colocar no lugar de quem é alvo das nossas piadas, do nosso cinismo e, por que não, da nossa falta de educação, piorou muito depois das redes sociais. Até parece que nenhum de nós tem espelho em casa, como dizem, e que somos perfeitos a ponto de nunca errar. Apontar o dedo é tão rápido quanto disseminar o ódio ou compartilhar algo para tirar sarro de outra pessoa. E se fosse com você?

O Jaburu poderia ter simplesmente aparado a grama conforme ordenado, sem paixão, sem proatividade, sem alegria, mas quis exaltar o seu desejo para os outros – e deve ter dado um baita trabalho fazer o desenho das letras com uma roçadeira. E daí se ele cometeu um erro de português? Na minha opinião isso não é motivo para acabar com todo esforço e a boa intenção dele.

“Prefiro um ‘felis’ Natal sincero e de coração do que um ‘Feliz’ Natal falso, de pessoas que não merecem nosso respeito”, escreveu uma internauta na postagem. “Tem tanta gente analfabeta de caráter e moral...”, escreveu outra. Faço das palavras delas as minhas. E, aproveitando, antecipo meu desejo para o Natal: mais empatia, por favor.
 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Greice Scotton Locatelli

Greice Scotton Locatelli

 



Editora-chefe do Grupo SERRANOSSA desde 2010, é formada em Comunicação Social - Habilitação Jornalismo, pela Unisinos, e tem na Língua Portuguesa e na Fotografia duas de suas maiores paixões.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.



Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 693
18/01/2019 06:00:09
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA