A Venezuela deu certo sim

Por: Felipe Sandrin | 03/01/2019 15:00:42

Mais uma vez a esquerda socialista mostra seu sucesso, agora foi a vez da Venezuela. Sim, porque a meta socialista é essa: igualar as pessoas nem que seja na pobreza absoluta.

Mas o culpado da vez para os apoiadores do regime são os Estados Unidos. Claro, para um esquerdista nato, a culpa sempre é dos outros, por quê? Porque a bondade mora dentro da esquerda, a esquerda de Che Guevara, de Stalin, Fidel e, claro, Lula. Para os socialistas a culpa sempre é dos outros. O ser humano – segundo eles – nasce bom, mas a sociedade o corrompe. Ou seja, tudo de ruim que surge no ser humano é imposto pela sociedade, sendo assim se não existisse essa sociedade o homem seria bom, montaria em unicórnios e voaria por entre o arco-íris encantado da benevolência essencial que mora dentro de cada humaninho deste lindo globo azul.

Não, o socialismo não falhou na Venezuela, na prática é isso que o socialismo faz: iguala o povo na miséria. Igualdade essa não compartilhada apenas pelos poderosos que enchem os pulmões e gritam em microfones seus discursos anticapitalistas. “Vamos nos unir contra os imperialistas. Vamos nos unir contra os maus”. Sim, por quê? Porque os maus, os culpados, são sempre os outros, eles são puros e bonzinhos.

No Brasil temos nossa própria Venezuela, ela existe na cabeça de todo petista que não admite culpa nenhuma pela desastrosa última década desse país. Para um petista nato a Venezuela é um paraíso, Cuba é um paraíso: mesmo com cubanos arriscando a vida todos os dias tentando fugir para os Estados Unidos de jangadas, ainda assim na cabeça de um petista Cuba é uma maravilha. Deve ser por isso que os esquerdistas amam ir aos Estados Unidos comprar iPhones e nunca a essa tal Cuba.

Enquanto isso, no Brasil, meia dúzia de idiotas se reuniram para protestar contra o hino brasileiro ser entoado nas escolas. É claro, na cabeça dessas pessoas o funk tocando para criancinhas, a visita a museus para verem um homem pelado, tudo isso é normal. “É arte e cultura”, dizem eles. Para esses rebolar em escola é arte e a Venezuela é livre e democrática.

Para quem acha que o Brasil estava longe de ser uma Venezuela, basta uma visita às universidades federais, o antro das distorções intelectuais, da falsidade histórica e do dinheiro de impostos mal gasto. Ali se procriam as mentes socialistas disseminando o ideal venezuelano da igualdade miserável.

O mundo finalmente abre os olhos para a falsidade que estava sendo vendida. O ideal socialista começa finalmente a ganhar o rosto que merece. O fracasso não pode mais ser disfarçado. “O socialismo dura enquanto dura o dinheiro dos outros”.

As farinhas do mesmo saco finalmente começam a voltar para o mesmo lugar do qual saíram. Agora nós sabemos que democracia é a única coisa que eles não querem e que pelo poder vale tudo, inclusive defender Lula e Maduro.
 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Felipe Sandrin

Felipe Sandrin

 



Músico e escritor, é colunista do SERRANOSSA desde 2006. Tem três livros lançados: Amor Imortal (2008), Eu vi a rua envelhecer – coletânea de crônicas publicadas no SERRANOSSA (2015) e Sempre Haverá Junho (2017), além dos álbuns Lados Separados (2011) e Adeus Astronautas (2016), com canções próprias. Contato: [email protected]



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.



Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 719
19/07/2019 08:00:44
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA