Um Bolsonaro cada vez mais forte

Por: Felipe Sandrin | 24/04/2020 06:00:18

As hienas se agrupam para atacar, gritam ao longe, espreitam sorrateiras, mas ainda assim sabem que ao fim sobrará a elas apenas os restos. A uma vez tão poderosa Rede Globo agora se vê ineficaz e flácida diante do homem que se elegeu sem precisar de um mísero minuto da sua programação. Aliás, a degradada emissora combina cada vez mais com seus bastiões esquerdistas, bundões frágeis com seus hinos histéricos que apenas denunciam aqueles que carentes não ganharam carinho do papai e da mamãe.

Enquanto isso os sertanejos fazem suas lives em redes sociais para milhões, quebram recordes de audiência e em arrecadação de alimento. Claro que são atacados pelos mesmos hominhos flácidos do #elenao.  Quem diria que a mortadela vencida se tornaria o aditivo principal de um presidente que só cresce em popularidade e força? Sim, esses que apoiam a queda de Jair Messias são os que o elevam cada vez mais. Gente que não produz nada, fingem amar os pobres quando na verdade apenas possuem o ódio invejoso para com os que possuem mais que estes.

“Ai, Felipe, mas as pessoas se arrependeram de votar nele”. Aham, continuem contando essa mentira. Esse homem fez mais de 50 milhões de votos nadando nas lágrimas de bunda moles que se autoconsolam. Se Bolsonaro tivesse enfraquecido uma mísera grama, ele já teria sido derrubado por toda essa legião de corruptos que agem em conluio com as grandes mídias do país.

O homem que não ia nem chegar ao segundo turno chegou e venceu. O homem que não duraria um mês no poder segue forte feito uma rocha. O homem que a esquerda vaselina ia tirar imediatamente do poder segue tendo como grande adversário os mesmos chorões fraquinhos de sempre.

Bolsonaro cresce em força e popularidade. Tentem derrubá-lo e os robôs, o gado, os bolsominios vão ir para a rua. Mães e pais, avós e avôs, jovens trabalhadores, velhos empreendedores. Todos armados com bandeiras de verde e amarelo.
Por muito tempo as hienas atacaram covardemente... e esse foi o grande consolidador de Jair Bolsonaro. Bastou um homem para que a fragilidade fosse exposta.  Hoje para cada batedor de panela movido a mortadela e lágrimas há um brasileiro apoiando o homem que está sendo atacado por toda massa corrupta.

Apenas na semana passada foram mais de 150 milhões de acessos nas plataformas de apoio ao presidente. Um dos homens mais seguidos do mundo em todas as mídias sociais. O homem cercado por robôs, robôs esses que seguem a fazer os socialistas chorarem no banho em posição fetal.

Bolsonaro cresce e seu crescimento é facilmente medido diante o desespero das estruturas mais podres deste país. O homem que não ia se eleger, o homem que cairia no primeiro mês, o homem que tentaram matar. Ali está, segue a crescer, dá voz aos que nunca puderam se defender.

As hienas espumam e gritam, é isso que elas fazem. Gritos e chororô. Bando de criancinhas, podem seguir usando suas fraldinhas e fazendo birra. Há adultos no comando, há finalmente alguém que toque para frente esse país.
 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Felipe Sandrin

Felipe Sandrin

 



Músico e escritor, é colunista do SERRANOSSA desde 2006. Tem três livros lançados: Amor Imortal (2008), Eu vi a rua envelhecer – coletânea de crônicas publicadas no SERRANOSSA (2015) e Sempre Haverá Junho (2017), além dos álbuns Lados Separados (2011) e Adeus Astronautas (2016), com canções próprias. Contato: felipesandrin@hotmail.com




Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 771
31/07/2020 00:05:31
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA