Ensino Híbrido na Saúde

Por: Pedro Della Côrte | 29/01/2021 17:00:00

Em um momento no qual cada vez mais as profissões tradicionais estão se reinventando, com a educação não poderia ser diferente. A necessidade de formações mais rápidas e técnicas fizeram com que as instituições buscassem por recursos virtuais que viriam a promover maior interação professor-aluno sem perder a qualidade das relações presenciais em sala de aula.

 Nesse contexto de uma nova pedagogia, explorando as habilidades e o potencial dos alunos, surgiram os Ambientes Virtuais, conhecidos como AVA, estimulando o ensino seja na instituição, em casa ou em qualquer outro lugar onde haja interesse, através da Modalidade de Ensino Híbrido, que vai muito além de um ensino semipresencial como alguns classificam.

Alinhando o ensino tradicional com as ferramentas e os ambientes virtuais, o ensino híbrido fez com que o professor conseguisse chegar até aquele aluno que se encontrava mais distante da sua relação em sala. Através das metodologias ativas, como jogos e como a sala de aula invertida, os alunos passaram a construir um conhecimento antes mesmo de o professor começar a trabalhá-lo em sala, facilitando e aprimorando o sistema de ensino-aprendizagem.

E essa modalidade chegou também para os cursos na área da saúde, para os quais no final do ano de 2019, o Ministério da Educação publicou a Portaria número 2.117, autorizando que até 40% da carga horária de cursos presenciais da área da saúde e engenharias pudessem ser feitas a distância, com exceção do curso de Medicina.
Diante dessa possibilidade e aproveitando que nos últimos anos os Censos Educacionais demonstravam um crescimento cada vez maior no ensino a distância, algumas instituições passaram a readequar suas matrizes curriculares, para que, além de se adequar a esta possibilidade, pudessem também oportunizar um ensino de qualidade na modalidade híbrida também para aquele aluno que antes tinha o Ensino Superior muito distante da sua realidade, seja pelas dificuldades da presencialidade ou até mesmo econômicas.

Aqui na Serra já são inúmeros os cursos ofertados nesta modalidade híbrida, principalmente em instituições de Caxias do Sul, mas o que todos devem saber é que a possiblidade de atividades a distância na área da saúde ficam restritas somente a conteúdos e disciplinas teóricas, sendo obrigatório que todas as atividades práticas ainda permaneçam presenciais. Para conhecer melhor a modalidade do curso de seu interesse, procure avaliar o sistema de ensino da instituição e conversar com o coordenador para maiores esclarecimentos. 

Sucesso na sua escolha, e lembre-se que uma carreira promissora depende do quanto você irá se dedicar para chegar lá. 

Apoio:

  
 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Pedro Della Côrte

Pedro Della Côrte

Professor Universitário, coordenador de curso, biólogo (CRBio3 41579), biomédico (CRBM5 3259), mestre em Genética e Toxicologia Aplicada, proprietário da Clínica Levestar e do Instituto Idevi – Instituto de Ensino e Pesquisa em Saúde. Contato: [email protected]



As colunas de opinião são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do SERRANOSSA.



 




Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 805
04/08/2021 00:00:18
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA