Futuro do Ensino

Por: Pedro Della Côrte | 06/04/2021 14:25:25

Em 2020 falávamos das dificuldades que as Instituições de Ensino nos mais variados níveis teriam para se adaptar ao Ensino Remoto, principalmente aquelas que ainda não estavam habituadas com a tecnologia, além dos desafios que os discentes e docentes iriam encontrar, sendo eles os verdadeiros protagonistas deste processo.

Passado mais de um ano do início da crise na saúde, e com a perspectiva que só seja superada com a vacinação de toda ou da maior parte dos brasileiros, qual o impacto sobre a aprendizagem do Pós-Pandemia na educação? E quais os desafios para o futuro do ensino? Não é fácil responder estes questionamentos, pois uma série de quesitos devem ser avaliados, mas inicialmente é importante diferenciarmos o que é o Ensino Remoto e o Ensino a Distância (EAD), pois não são a mesma modalidade.

O Ensino Remoto praticado atualmente só é semelhante ao EAD por utilizar a tecnologia nos processos de ensino-aprendizagem, mas os princípios que o regem são os da modalidade presencial. Já o Ensino a Distância conta com o apoio de tutores no regime atemporal, com carga horária distribuída em diferentes atividades síncronas e assíncronas. 

No Rio Grande do Sul, a modalidade EAD é regulamentada somente no Ensino Superior, seja na Graduação ou Pós-graduação. Mas hoje, passado todo aquele choque cultural de que a tecnologia na educação não fazia parte da nossa realidade, não conseguimos mais imaginar viver sem ela em nossas atividades educacionais. Seja no Ensino Remoto, que deverá retornar ao presencial em breve, ou no EAD, a tecnologia é o futuro da educação.

Por isso, muito deste Ensino Remoto já está consolidado nos processos de aprendizagem do Pós-Pandemia, a tecnologia que se discutia ser uma ferramenta do futuro já é realidade. Cabe as instituições e aos professores aprimorar estas ferramentas para que sejam recursos importantes na construção do conhecimento e não somente depósitos de materiais de consulta para os alunos, como se viu neste período em certas ocasiões.

Os ambientes virtuais e a tecnologia têm muito a oferecer, seja para o aluno ou  para o professor, e esperamos realmente que sejam utilizados de forma correta, pois a nova geração que chega não irá suportar ficar três, quatro horas sentada como fomos educados no passado. São muitos os desafios e, por isso, a família, a escola, os professores e os alunos devem estar cada vez mais próximos, pois só há futuro se tivermos uma educação de qualidade, com a participação de todos. 

Apoio:

  
 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Pedro Della Côrte

Pedro Della Côrte

Professor Universitário, coordenador de curso, biólogo (CRBio3 41579), biomédico (CRBM5 3259), mestre em Genética e Toxicologia Aplicada, proprietário da Clínica Levestar e do Instituto Idevi – Instituto de Ensino e Pesquisa em Saúde. Contato: [email protected]



As colunas de opinião são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do SERRANOSSA.



 




Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 815
18/06/2021 00:05:36
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA