É preciso simplificar

Por: Greice Scotton Locatelli | 04/07/2017 00:00:00

Sabe aquele professor carismático, que faz com que a maioria aprenda a matéria sem grande esforço e com resultados duradouros? Tive a sorte de encontrar vários assim, tanto na escola quanto na faculdade. O segredo deles? Simplificar.

Talvez seja isso que falta à humanidade: simplificar, ou seja, tornar mais simples, menos complexo. Não falo somente da simplicidade de viver com menos. Falo de atitudes simples que podem tornar o dia a dia mais fácil.

Os exemplos são os mais variados possíveis, desde os mais cotidianos (e banais). Por exemplo: se você está esperando o elevador, precisa entender que é necessário que quem está dentro dele saia para você entrar. Simples assim. Se você está na fila do supermercado, o mínimo que as pessoas que estão atrás de você esperam é que você já tenha pegado tudo que quer comprar, não que as deixe esperando ainda mais porque esqueceu algo. Se você é gestor de uma empresa ou de um órgão público – uma unidade de saúde, por exemplo –, é imprescindível que tenha em mente que será infinitamente melhor se puder agilizar e simplificar processos – por que incentivar as pessoas a madrugarem em filas para agendar uma consulta se isso pode ser feito por telefone? Por que não dar retorno dizendo que a vaga anunciada já foi preenchida para um candidato que envia seu currículo?

Na nossa vida pessoal, a regra também pode ser aplicada. Brigou com alguém querido? Simplifique: converse. Aquela faxina enorme do final de semana deprime você? Mude a rotina e limpe um pouco por dia. Tem uma dorzinha chata incomodando há meses? Procure um médico. Muitos “monstros” que nos assombram são puramente fruto do nosso hábito de postergar, da nossa facilidade de esquecermos o ditado “nunca deixe para amanhã o que pode ser feito hoje”. Quanto mais o tempo passa, maior o monstro fica e mais agonia causa. E nada mais estressante do que ficar em constante agonia.

Em um contexto mais amplo, de estilo de vida, a simplicidade também tem ganhado força. Na internet, surgem novos exemplos a cada dia de pessoas que têm largado tudo em busca desse conceito de encontrar a felicidade dentro de si mesmo. Gente que desiste de empregos milionários – e eletrizantes – no coração de uma grande cidade para se mudar para o interior, onde mal pega internet; casais que decidem substituir o carro pela bicicleta e trocar as fraldas descartáveis por modelos de pano, como as mães de antigamente faziam; pessoas que têm priorizado aprender a cozinhar para viverem de forma mais saudável – e saber o que estão consumindo.  

Independentemente de a atitude ser extrema ou singela, é possível simplificar a vida em pequenos comportamentos todos os dias. No sentido de bens materiais, isso não significa trabalhar duro e depois não usufruir do conforto que um bom salário traz. Quer dizer repensar hábitos para se questionar “será que eu preciso mesmo disso?”. Simplificar o consumo, aliás, também é uma forma de qualidade de vida que, de quebra, faz bem para o planeta. 

E quer saber qual a primeira atitude que você deve tomar para simplificar a sua vida? Parar de reclamar. Ficar resmungando não vai resolver o problema, certo? Então abandone de vez esse hábito.


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Greice Scotton Locatelli

Greice Scotton Locatelli

 



Editora-chefe do Grupo SERRANOSSA desde 2010, é formada em Comunicação Social - Habilitação Jornalismo, pela Unisinos, e tem na Língua Portuguesa e na Fotografia duas de suas maiores paixões.




Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 747
14/02/2020 08:04:07
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA