Sua melhor versão

Por: Felipe Sandrin | 05/11/2017 00:00:00

Tenho observado você de longe, não sei exatamente pelo que está passando, mas de alguma forma sei como você se sente. Sei sobre esse cantinho que tanto a incomoda. Essa sua mania de guardar tudo, lembranças que feriram, momentos bons que passaram e as vezes em que você errou.
Não vou pedir para que se levante, não. Se você fizer isso hoje, logo cairá novamente e perderá ainda mais dessa fé que lhe salva. Mas olha, isso tudo pelo que você está passando se chama crescimento. Sim, você está crescendo, está percebendo que a vida muda nossos planos e muitas vezes tudo aquilo o que planejamos não acontece.
Isso incomoda, né? Esse seu cantinho que tanto consegue guardar, esse pedacinho no qual cabem tantas recordações: mas é nesse cantinho que sua parte mais forte vai se construir, é ali, em meio às lembranças do que a fez sofrer que você também encontrará um motivo para seguir.
Sei que você está se sentindo sozinha, não há ninguém que possa  entendê-la e às vezes fica ruim até respirar. Você está sufocando o peso de todos esses anos e de cada decisão tomada. Por vezes você demora a dormir e acorda tão cansada que chega a se questionar sobre quantos dias mais conseguirá aguentar.
Mas sei também que isso vai fazê-la mais forte. Não é de um dia para o outro, nem de uma estação para outra que essa mudança vai ocorrer, aliás, é bem provável que você nem note o quanto mudou. Acredite: algo dentro de você, esse pequeno caco de vidro cheio de medos, vai torná-la alguém incrível.
Hoje, quando iniciei as primeiras linhas desse texto, eu senti que precisava falar diretamente a alguém, não sei o nome dessa pessoa, não tenho ideia sobre as linhas que desenham seu rosto, tudo o que sei é aquilo o que senti. Tudo bem se milhares de pessoas não entenderem esse recado, não há problema nisso, desde que essa mensagem chegue até você, que essas linhas façam a diferença no seu dia e que você volte para casa mais confiante de que as coisas vão melhorar.
São seus dias mais difíceis e parece que tudo isso não irá passar, mas é assim mesmo: dias difíceis são lentos, feito aquelas lições que precisávamos fazer em casa para entregar ao professor no dia seguinte. Lições difíceis são as que mais tardamos a aprender, mas também são aquelas que nunca esquecemos.
Ser forte é difícil, eu sei disso, mas eu sei também que as pessoas mais incríveis que conheci eram como você. Elas sobreviveram aos piores dias antes de se tornarem a melhor versão delas mesmas.

 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Felipe Sandrin

Felipe Sandrin

 



Músico e escritor, é colunista do SERRANOSSA desde 2006. Tem três livros lançados: Amor Imortal (2008), Eu vi a rua envelhecer – coletânea de crônicas publicadas no SERRANOSSA (2015) e Sempre Haverá Junho (2017), além dos álbuns Lados Separados (2011) e Adeus Astronautas (2016), com canções próprias. Contato: [email protected]



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.



Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 731
10/11/2019 08:00:55
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA