Mudar é preciso

Por: Greice Scotton Locatelli | 27/04/2018 06:00:12

Se você está acostumado a ler o SERRANOSSA, seja na versão impressa ou na on-line, provavelmente percebeu algumas mudanças nesta edição. O novo projeto gráfico é fruto de várias semanas de dedicação e empenho da nossa diagramadora, Yasmin Provenzi. Ela não mediu esforços (e desenhos, rascunhos, protótipos e testes) para que o jornal se tornasse ainda mais dinâmico e atrativo, com cores e elementos diferentes, em um layout mais moderno. Tudo para melhorar a sua experiência de leitura. Esse novo visual, aliás, oficializa uma série de mudanças pontuais que vínhamos implantando ao longo dos últimos meses de forma gradativa, como a inserção de novos elementos e infográficos. E vem mais novidade por aí, fique de olho. Ainda não conferiu? Clique aqui e veja como ficou o novo projeto gráfico.

De tempos em tempos é preciso sacudir a poeira e sair da zona de conforto em todos os aspectos da vida. 

E por falar em mudança, que tal adotar atitudes simples, mas que podem fazer toda a diferença na vida de outras pessoas? Na última semana, estive mais uma vez no Lar do Ancião. A fundadora, dona Anna Variani, foi uma das figuras mais ricas de alma que Bento Gonçalves já conheceu. Um ser humano incrível, que esbanjava amor e vitalidade e que nunca mediu esforços para que aquelas paredes fossem realmente um “lar”. A dona Anna faleceu há pouco mais de oito anos, mas seu legado continua sendo mantido pela atual presidente, Lourdes de Souza. Foi ela quem me deu notícias amargas sobre como a crise atingiu diretamente a entidade nos últimos meses.

Mas o que isso tem a ver com mudar? Tudo. Durante a visita, me dei conta de como eu também, sem querer, parei de ajudar com o passar do tempo, seja fazendo doações seja contando histórias. Confesso que fazia um tempo que eu não ia lá – desde a entrevista com o artista plástico Anastácio Orlikowski, que acabou falecendo pouco tempo depois de uma campanha para reverter fundos para os tratamentos de saúde que ele necessitava, encabeçada pela também artista plástica Zilá Nodari e que o SERRANOSSA apoiou. É triste ver como algo com que nos importamos acaba passando batido na correria do dia a dia e perde espaço para outras prioridades. 

Mas sempre é tempo de se dar conta e reescrever a história.

Que tal cada um de nós fazer algo para ajudar, não apenas o Lar do Ancião, mas qualquer pessoa que precise? No caso da entidade, a maior necessidade, agora, é de dinheiro (qualquer valor é bem-vindo), mas existem outras muitas formas de contribuir: desde passar uma tarde conversando com os idosos para aliviar a solidão até doar alimentos não tão tradicionais – a alimentação dos idosos costuma ser diferenciada, então são bem-vindos produtos como margarina, biscoito doce, café, achocolatado e gelatina. Clique aqui para conferir a reportagem completa.

Fazer o bem a outras pessoas é uma terapia que beneficia tanto quem pratica quanto quem recebe. E sair da zona de conforto pode trazer resultados surpreendentes. Que tal tentar, seja ajudando o Lar do Ancião ou alguém que precisa? Ninguém sabe o que o futuro reserva. Coloque-se no lugar de quem hoje precisa da sua ajuda. 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Greice Scotton Locatelli

Greice Scotton Locatelli

 



Editora-chefe do Grupo SERRANOSSA desde 2010, é formada em Comunicação Social - Habilitação Jornalismo, pela Unisinos, e tem na Língua Portuguesa e na Fotografia duas de suas maiores paixões.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.



Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 677
14/09/2018 08:00:05
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA