A política, as pessoas e a transparência!

Por: Padre Ezequiel | 17/09/2018 09:00:25

Tenho pensado muito sobre a transparência, motivado pela situação da política brasileira. Acredito que o momento que estamos vivendo nos fará crescer. É uma oportunidade para percebermos que é importante sermos éticos, honestos, justos, verdadeiros e transparentes. 

Eu e você precisamos perceber que uma pessoa ou grupo se tornam repugnantes, antipáticos, mal vistos quando roubam, mentem, trabalham por seus próprios interesses. Aprendemos a detestar a corrupção e a perceber que devemos ser justos. Isso purifica nossa prática de cidadãos. Não só julgamos e analisamos quem está sendo investigado e julgado mas também nos perguntamos: "Como eu sou?", "Como tenho agido?", "Qual a prática da minha empresa ou do meu grupo?", "Como estou educando as crianças"?, "Quero ganhar sempre passando por cima dos outros?", "Eu me importo com o bem dos outros e da sociedade ou somente com meu próprio bem?". Essas perguntas avaliam a minha prática. Se não me fizer perguntas assim, diante dos casos de corrupção, não estou aprendendo nada. Poderei ser o próximo corrupto. Isso demonstrará que não evoluí. Basta ter uma oportunidade que irei fazer a mesma coisa que condeno.
 
Os fatos na política têm revelado que a nossa sociedade precisa de pessoas sérias, éticas e transparentes. A nossa sociedade e nosso jeito de agir precisam melhorar muito. As crianças precisam ser educadas para que saibam que não devem se apropriar daquilo que não lhe pertence. Não podemos nos apropriar individualmente daquilo que é de todos e deve servir para o bem de todos. Aprender que a mentira destrói nossa própria dignidade e corrompe a base de uma sociedade decente. Não devemos defender corruptos e nem corruptores em nenhuma circunstância, independentemente de partido, de ideologia, causa, grupo, raça ou cor. Não se cresce fundamentado no erro. Não há evolução sem verdade. É triste quando alguém justifica sua posição dizendo que "todos roubam". Primeiro, porque o "todos" é uma mentira. Segundo, porque justificar a minha opção de defender uma causa ou alguém porque não há outra opção, mostra o fim das alternativas. Isso é uma decepção total. Escolho esse porque é o “menos pior”. Isso não constrói nenhuma sociedade. É a prova do descalabro. Eu abomino essa ideia de "que são todos iguais". Preciso acreditar que pode e deve existir o diferente.

Alguns se consideram tão bons no que fazem que se convencem disso e ninguém vai mudar seu pensamento. Essas pessoas se enganam sobre si mesmas. Criam ilusões. Se autoenganam. Não são transparentes. Não porque não querem, mas porque se convenceram a partir de uma ideia falsa. Aqui entra a necessidade de autocrítica. Precisamos questionar o nosso jeito de ser. 

Desconfiar de que fazemos tudo certo. Perguntar-se o que preciso melhorar. O que posso melhorar. Não se convencer facilmente a respeito de nossa própria bondade. Perceber a necessidade de crescimento permanente. Dizer para si, no silêncio: "eu posso ser melhor e fazer melhor". Se assim fizer, vou purificando minhas atitudes de possíveis distorções e ilusões. Isso em um caminho de continuada busca e crescimento. A pessoa que assim proceder será mais transparente consigo mesma. Sua ação contribuirá para o bem da sociedade. 

Além de iludir-se sobre si mesma a pessoa pode conscientemente enganar os outros. Ela sabe que está enganando. Sabe de sua mentira, mas com ela contesta o parecer dos outros. Está preocupada com seus próprios interesses e privilégios. Defende seus interesses acima de tudo e de todos. Engana e cria armadilhas. Arma ciladas e não mostra seus ocultos interesses. Não é transparente porque a transparência revelaria todos seus planos imorais. Pessoas assim são perigosas. São lobos vestidos de cordeiros. Atacam quando menos se espera. Em qualquer das situações a falta de transparência afeta o ser da própria pessoa. A vida e a história nos cobrarão os desvios da verdade. A verdade está ligada à essência da vida. Ficar longe da verdade é o mesmo que errar o alvo. Estar longe da verdade não traz alegria e nem melhora a sociedade. Por isso, a transparência é muito importante para quem deseja evoluir e possibilitar que as pessoas sejam mais felizes. Enganar a si mesmo e enganar os outros é o mesmo que autodestruir-se. A vida cobrará nossos afastamentos do bem e da verdade. Pensemos nisso!
 


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.

Padre Ezequiel

Padre Ezequiel

Sacerdote da Diocese de Caxias do Sul (RS), padre Ezequiel é cantor e compositor e lidera o projeto "Despertai para o Amor", de evangelização através da música e dos meios de comunicação. Já lançou seis CDs e um DVD e roda o Brasil com shows musicais, palestras, missas e pregações. Apresenta diariamente a reflexão "Despertai para o Amor" em mais de 250 rádios de 19 Estados do Brasil e o programa semanal "Despertai para o Amor" na TV Evangelizar e na TV Nazaré. É editor da Revista "Despertai para o Amor", de circulação trimestral, e autor do livro "Beber na fonte do amor: como a misericórdia humaniza e traz verdadeira alegria" (Edições Loyola).



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.



Leia a Edição
IMPRESSA


Edição 737
22/11/2019 06:00:05
Edições Anteriores

Curta o SERRANOSSA