• Vinícola Garibaldi

Com receio de desabamento, família pede auxílio para encontrar novo lugar para morar

  • Vinícola Garibaldi

Maria de Lurdes Batista Aires, de 66 anos, teme pela segurança do filho, Claiton, e de seus cinco animais de estimação em residência antiga no bairro Progresso. Aposentada paga até R$ 600 por aluguel

Foto: Eduarda Bucco

Bento Gonçalves já foi atingida por dois episódios de fortes chuvas apenas neste início de 2022. Acompanhadas de ventania, as chuvas causaram estragos em residências, empresas e em vias públicas. Felizmente, não houve registro de feridos. Mesmo assim, a situação preocupa quem reside em locais perigosos ou em construções pouco estruturadas. É o caso da aposentada Maria de Lurdes Batista Aires, de 66 anos. Conhecida pelo apelido de Adriana – nome recebido em sua infância por ser parecida com uma atriz da época –, a idosa reside em uma casa no bairro Progresso com o filho especial Claiton e com cinco animais de estimação – quatro cães adotados e uma caturrita.

A residência alugada pela aposentada foi a única encontrada em Bento Gonçalves que aceitou abrigar a família e os animais por um valor acessível. Entretanto, o receio de desabamento preocupa Adriana. “Toda vez que chove forte, eu levo meu filho e meus bichos para o porão da casa, onde sei que é mais seguro. Da última vez, vi que a casa balançou bastante. Achei que perderia tudo”, relata.

A casa antiga possui uma série de avarias, que precisam ser contornadas com panos, pedaços de madeira e outras técnicas improvisadas para evitar a entrada de vento e água. “Minha casa está em péssima situação”, lamenta a aposentada.

A família é auxiliada pela Associação Anjos Unidos por conta da saúde de Claiton, de 36 anos. O filho especial sofre de esquizofrenia e confusão mental desde criança e precisa de cuidados 24 horas por dia. Por meio da associação, a redação do SERRANOSSA conheceu a história da família, que hoje pede auxílio para encontrar uma residência em melhores condições. “Eu posso pagar até R$ 600 por mês de aluguel. Mas precisa ser uma casa que aceite meus bichinhos e que seja cercada para a proteção deles”, especifica. “Meus bichinhos são comportados e pagamos sempre nos dias certinhos. A pessoa [que alugar a casa] não vai se arrepender”, declara Adriana.

A aposentada vive em Bento Gonçalves há 50 anos e já trabalhou como diarista, empregada doméstica e cuidadora de idosos. Hoje, sem poder trabalhar e sem nenhum familiar na cidade além de seu filho, Adriana conta com ajuda de pessoas queridas da comunidade, como voluntários da Associação Anjos Unidos. “Sou natural de Santa Maria. O pai do meu filho faleceu faz três anos. Já não estávamos mais juntos, mas ele sempre ajudou a gente. Hoje somos somente nós dois e nossos bichinhos”, conta.

Além da preocupação com a qualidade de vida do filho, Adriana decidiu pedir ajuda para encontrar uma nova casa pensando na segurança dos animais. “Eles são tudo na minha vida e na do Claiton, não sabemos viver sem eles. Se tivermos que morar em um pé de árvore, eles vão junto”, afirma. “Precisamos ter mais amor, carinho e afeto pelos animais e pelas pessoas. Minha esperança no mundo é essa”, reflete Adriana.

Quem quiser ajudar a aposentada pode entrar em contato com a Associação Anjos Unidos pelos telefones (54) 3052-0815/ (54) 99928-4452 ou pelo e-mail anjosunidos@anjosunidos.com.br. O horário de atendimento da associação é das 13h30 às 16h30.

Foto: Eduarda Bucco

Ajuda aos animais

Todos os cinco animais de estimação de Adriana e Claiton foram adotados, inclusive a caturrita. Os cães Rex, Mel, Piti e Mimi carregam histórias bem distintas. O antigo tutor de Rex perdeu a batalha para uma doença grave e o cachorrinho foi acolhido pela família. Mel foi encontrada na rua, ao lado de seu filhinho já sem vida. Piti também estava perdida/abandonada nas ruas, tomada por pulgas, carrapatos e bicheira. Já a Mimi é uma antiga conhecida da família. Filhinha de uma cachorrinha já falecida, ela havia sido doada por Adriana a uma conhecida, mas acabou retornando à família algum tempo depois.

Mimi é o motivo de mais uma preocupação diária de Adriana. Recentemente, durante consulta devido a uma lesão na pata, a veterinária Sher Steffenon, especialista em oncologia de cães e gatos, identificou uma série de nódulos mamários na cachorrinha. Por conta disso, ela precisará passar por duas cirurgias, que juntas somam R$ 1.500. Até o momento, através de campanhas nas redes sociais, a família conseguiu arrecadar pouco mais de R$ 1.000, mas R$ 500 precisaram ser utilizados para a realização de exames.

O PIX que está sendo disponibilizado para doação de valores é de um amigo da família: (54) 9 8112 9612 – Jonathan Peruffo.

“Espero que alguém abra seu coração para a gente e para nossos filhos de quatro patas”, finaliza Adriana.