• Vinícola Garibaldi

Eduardo Leite visita Bento Gonçalves

  • Vinícola Garibaldi

Leite esteve no centro de operações da prefeitura, no Salão da Comunidade Nossa Senhora do Rosário, em Faria Lemos

Eduardo Leite visita Bento Gonçalves
Foto: Unidade Móvel Difusora

O governador Eduardo Leite (PSDB) esteve em Bento Gonçalves na tarde deste sábado, 25/05. A cidade foi uma das atingidas por graves deslizamentos de terra no interior, em localidades como Faria Lemos e Linha Alcântara.

Leite esteve no centro de operações da prefeitura, no Salão da Comunidade Nossa Senhora do Rosário, em Faria Lemos. Lá, conversou com as equipes de trabalho, pessoas abrigadas, com o prefeito Diogo Siqueira (PSDB), com o deputado estadual Guilherme Pasin (Progressistas), entre outras autoridades.

O secretário chefe da Casa Civil, Arthur Lemos, também esteve presente. Lemos, inclusive, foi o integrante do governo estadual destacado para atuar em Bento Gonçalves no início da catástrofe, em 1º de maio. O Chefe da Casa Militar e da Defesa Civil, Coronel Boeira, também participou da visita.

O governador conheceu os trabalhos do Núcleo de Riscos Geológicos, que realiza pesquisas e análises de mais de 100 desmoronamentos de terra que foram registrados no interior da cidade.

Leite ainda vistoriou a ERS-431, uma das mais danificadas do Estado. O governador esteve na Ponte de Santa Bárbara, levada pelo Rio Taquari ainda na enchente de setembro, e na Ponte de Cotiporã, danificada gravemente na mais recente enchente.

No caso de Santa Bárbara, uma balsa operava na travessia entre Santa Tereza e São Valentim do Sul. Contudo, na enchente do final de abril e início de maio, a estrutura foi levada pelas águas. A Ponte de Cotiporã seria uma opção para ligação de Bento ao Norte do Estado após o colapso da BR-470, na divisa com Veranópolis. Porém, agora, passa por análises e um projeto de reconstrução ainda é elaborado pelas prefeituras.

Um dos tópicos tratados por Leite foi a questão da retomada do turismo, visto que Bento Gonçalves é referência no setor e já sente os efeitos da catástrofe.

“A gente está em reunião com o trade turístico para começar a fazer uma campanha, a partir das reconexões de estradas, da questão aeroportuária, que a gente trabalha muito para que o aeroporto de Caxias [do Sul] e da Base Aérea de Canoas tenham o maior fluxo de passageiros possível, para que a gente retome, a partir de uma campanha de remobilização do turismo, também, o fluxo das pessoas aqui nessas localidades”, disse em entrevista à imprensa.

Até o momento, Bento Gonçalves registra 10 óbitos oficiais. Quatro pessoas seguem desaparecidas. As buscas, que ocorrem diariamente, estão centradas nas localidades de Passo Velho e Imaculada Conceição.