• Vinícola Garibaldi

Em Bento Gonçalves, ministra de Lula se encontra com reitores de IFRSs

  • Posto Ravanello
  • Vinícola Garibaldi

Luciana Santos, ministra de Ciência, Tecnologia e Inovação, esteve no Campus de Bento Gonçalves do IFRS e defendeu a excelência e capacidade das instituições

Foto: Gabriel Oliveira

Durante encontro com reitores na segunda-feira, 13/11, em Bento Gonçalves, a ministra de Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, destacou o papel de excelência dos Institutos Federais e defendeu a contribuição da ciência e da tecnologia para a superação dos desafios nacionais.

“Os Institutos Federais foram criados como política pública estruturante e revolucionária do primeiro ciclo do governo do presidente Lula”, lembrou a ministra. “A sua capilaridade e formação de profissionais repercutem no âmbito das pesquisas. São espaços de excelência, de valorização da educação, de inclusão e descentralização das unidades de ensino, reduzindo assimetrias regionais e potencializando as vocações regionais”, completou.

Segundo a ministra, o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) vai lançar os editais do programa Pró-Infra, para expandir e consolidar a infraestrutura de pesquisa científica e tecnológica das universidades e instituições de ciência e tecnologia.

“Por meio do Pró-Infra, vamos investir R$ 4,4 bilhões até 2026. Uma parte desses recursos será destinada para a infraestrutura focada em temas prioritários para o desenvolvimento nacional: saúde, defesa, transição energética, transição ecológica e transformação digital”, adiantou.

Demandas

O reitor do Instituto Federal de Ciência, Educação e Tecnologia do Rio Grande do Sul (IFRS), Júlio Heck, também destacou o papel dos institutos na inovação. “Há 15 anos, os institutos federais são protagonistas na pauta da inovação e do desenvolvimento tecnológico”, disse, defendendo, ainda, a implementação de políticas voltadas ao letramento científico nas escolas e à popularização da ciência.

Já o pró-reitor de pesquisa do Instituto Federal de Farroupilha, Arthur Pereira Frantz, enfatizou que os Institutos Federais são ferramentas para aproximação do setor produtivo. “Nosso papel não e só formar, mas também promover o desenvolvimento econômico.”