• Ótica Debianchi Lente em Dobro
  • Naturepet Pharma
  • Vinícola Garibaldi
  • Envase

Indústria Medabil entra em recuperação judicial de R$ 650 milhões

  • Debianchi
  • Naturepet Pharma
  • Vinícola Garibaldi
  • Envase
  • Posto Ravanello

Fundada há 55 anos, a Medabil emprega 530 profissionais e possui unidades em Nova Bassano e Porto Alegre, além de Chapecó

Indústria Medabil entra em recuperação judicial de R$ 650 milhões.
Foto: Reprodução/Medabil

A Medabil, tradicional fabricante gaúcha de estruturas metálicas, entrou em recuperação judicial. O pedido da empresa foi aceito pela Justiça. A dívida do processo é de R$ 650 milhões, valor que sobe para R$ 775 milhões se considerados débitos que ficam de fora. Contudo, a empresa atribui a crise às paradas de atividades e de obras na pandemia, e também a contratos atrelados à taxa Selic, reajustados em períodos de juro alto.

Fundada há 55 anos, a Medabil possui unidades em Nova Bassano e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, além de Chapecó, em Santa Catarina. Atualmente, emprega 530 pessoas. Seus produtos são vendidos para mais de 20 países da América Latina, Europa e África. Além disso, a capacidade de manter a operação é essencial no processo, conforme destaca o advogado João Medeiros Fernandes Jr., sócio da MSC Advogados, que representa a Medabil e se mostra confiante na reestruturação da dívida com negociações com credores.

“A empresa possui complexos industriais modernos, com unidades desenhadas para atender diferentes segmentos da construção”, diz Fernandes. Como clientes, inclui centros de distribuição, eventos, varejo de alimentos, indústria automobilística e farmacêutica. Entre os trabalhos realizados, destacam-se projetos para os aeroportos Salgado Filho, em Porto Alegre, e de Guararapes, em Recife, além de obras da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), em São Paulo.

Nota da empresa

Em nota ao GZH, o presidente da Medabil, Paulo Costa, afirmou que manter a operação normal da empresa está no planejamento, enquanto se busca a readequação do fluxo de caixa para, inclusive, retomar a expansão dos negócios. A partir do “ok” da Justiça obtido agora, a empresa tem 60 dias para apresentar o plano de recuperação judicial.