• Vinícola Garibaldi

Leite sanciona PL de Pasin que prevê a instalação de rampas de escape em rodovias

  • Vinícola Garibaldi

De acordo com o autor da iniciativa, deputado estadual por Bento Gonçalves, Guilherme Pasin (PP), o mecanismo já é utilizado em outros estados

Foto: Maurício Tonetto/Secom

O projeto que prevê a instalação de rampas de escape em rodovias do Rio Grande do Sul foi sancionado pelo governador Eduardo Leite (PL) nesta segunda-feira, 18/03. Agora, a partir de estudos prévios sobre números de acidentes em determinadas regiões do Estado, poderão ser instaladas as áreas para desaceleração dos veículos — principalmente caminhões — em grandes declives.

De acordo com o autor da iniciativa, deputado estadual por Bento Gonçalves, Guilherme Pasin (PP), o mecanismo já é utilizado em outros estados. “O número de acidentes nas rodovias do estado foram a grande motivação deste projeto. Antes, olhávamos para o lado e víamos que outros estados proporcionaram esta segurança aos seus. Agora, estamos em pé de igualdade para cuidar dos nossos motoristas que trafegam pelas estradas gaúchas”, destaca Pasin.

Em trechos de descidas acentuadas, as rampas de escape assumiriam papel de segurança na rodovia. Elas servem para reduzir a velocidade de veículos com falhas nos freios ou outras dificuldades de frenagem. Através da resistência ao rolamento proporcionada por materiais como areia, cascalho e pedregulhos, ou da desaceleração gravitacional em subidas, as rampas de escape permitem que os motoristas controlem seus veículos de forma segura, evitando colisões e preservando vidas.

As rampas poderão ser instaladas em rodovias estaduais existentes, a serem construídas ou duplicadas, diretamente pelo Estado ou por meio de concessão. A ERS-431 em Bento Gonçalves e a ERS-129, na “Curva da Morte”, em Muçum, ostentam um histórico preocupante de acidentes e mortes no trânsito e são exemplos de espaços que poderiam receber rampas de escape. Nos últimos 10 anos, as duas rodovias registraram 339 ocorrências, 22 delas fatais, um cenário que clama por medidas urgentes.

Leite explicou que a lei incorpora às obrigações do Estado a análise e a implementação, sempre que possível, de espaços de proteção adicional, especialmente em áreas de serra, onde possa haver maior risco no caso de falhas mecânicas de veículos grandes, como caminhões.