Camarote
12/05/2018 14:33:38, escrita por Greice Scotton Locatelli

O livro do capitel: para eternizar uma história (quase) perdida

Você já prestou atenção naquelas pequenas construções que parecem “minicapelas” erguidas à beira das estradas, especialmente no interior? Já se perguntou como elas surgiram ou qual a motivação por trás do surgimento delas? Essa carência de informações envolvendo os capitéis, como são chamados, estimulou o jornalista Fabiano Mazzotti a produzir um livro com a história sobre os pequenos oratórios. “O livro do capitel” será lançado nesta sexta-feira, dia 7, em Pinto Bandeira, e na próxima semana em Bento Gonçalves (dia 12), Santa Tereza (dia 13) e Monte Belo do Sul (dia 17) – é nessas cidades que estão situados os 113 capitéis que fazem parte do livro.

 


Os autores Fabiano Mazzotti, Leonides Ferrari, Loiva Carraro, Sueli Ferrari, Carmelina Ferrari e Nelcy Ballista (Foto: Idovino Merlo)

 

A autoria é dividida com cinco professoras que haviam se interessado pelo assunto há 37 anos. Em 1981, Carmelina Ferrari, Leonides Ferrari, Loiva Carraro, Nelcy Ballista e Sueli Ferrari desenvolveram a pesquisa “Os capitéis – Expressão visual de devoção popular do imigrante italiano”, no curso de pós-graduação em Folclore oferecido pela extinta Faculdade Musical Palestrina, de Porto Alegre. Em vez de apenas incluir o trabalho na bibliografia do livro, Mazzotti chamou as pesquisadoras – hoje com idades entre 72 e 92 anos – para dividir a autoria da obra. “A ideia foi valorizar a iniciativa delas, que ocorreu em uma época em que não havia as facilidades que temos hoje. Elas ouviram pessoas que já faleceram e garantiram o registro de memórias orais que teriam se perdido, contando a história de 136 capitéis, 65  situados no território da antiga Colônia Dona Isabel”, enaltece Mazzotti. 

 


 

Ele conta que a produção levou cerca de dois anos, com algumas paradas para se dedicar a projetos paralelos. “Primeiro percorri os locais de moto, mapeei os pontos no Google e idealizei o formato. Depois revisitei todos eles em busca das informações mais fidedignas possíveis, com base em histórias contadas por moradores. Eu não quis me contentar com a primeira camada de informação, mais supérflua. Fui a fundo buscando descendentes, pessoas que não residiam mais em Bento. Dessa forma foi possível tirar da sombra os nomes de quem se empenhou para erguer os capitéis no passado e que eram desconhecidos até então”, detalha.
 
Versão sonora

Além do livro impresso, o projeto também apresenta uma versão sonora: um CD com a narração de todas as histórias foi gravado de forma inédita nas quatro cidades envolvidas. “Dessa forma podemos oferecer acesso de conteúdo a pessoas portadoras de deficiência visual”, explica Mazzotti. Aprovado pelo Ministério da Cultura, o trabalho tem patrocínio das empresas Ceran, Meber Metais, Roseflor Alimentos, Vinícola Aurora e Adubare Compostos Orgânicos. Os quatro municípios contemplados no projeto apoiam a obra cultural. 


 
O livro do capitel

Páginas: 280
Tiragem: 1.500 exemplares (50% distribuídos gratuitamente)
Capitéis registrados: 113, nos municípios de Bento Gonçalves, Monte Belo do Sul, Pinto Bandeira e Santa Tereza.
 


 

Lançamentos:
07/12 (sexta-feira): Pinto Bandeira. Salão Paroquial da Igreja Nossa Senhora do Rosário, às 20h
12/12 (quarta-feira): Bento Gonçalves. Salão Paroquial da Igreja Matriz Santo Antônio, às 20h
13/12 (quinta-feira): Santa Tereza. Prefeitura Municipal, às 20h
17/12 (segunda-feira): Monte Belo do Sul. Salão Paroquial da Igreja São Francisco de Assis, às 20h
 
Os eventos têm entrada gratuita. Nesses dias, os livros estarão à venda pelo preço promocional de R$ 70.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA