Economia
29/02/2012 12:43:25, escrita por SERRANOSSA

Sindivinho-RS propõe ações para modernizar o setor

Mais de 30 representantes de prefeituras, secretarias, entidades e empresas participaram de reunião

“A Serra Gaúcha precisa de modernização urgente, mais do que qualquer outra região vitivinicultora do país”. O alerta da presidente do Sindicato da Indústria do Vinho do Rio Grande do Sul (Sindivinho-RS), Cristiane Passarin, foi feito em reunião do setor com prefeitos da Serra Gaúcha, realizada em Flores da Cunha, na última quinta-feira, dia 23. O encontro durou cerca de quatro horas, com propostas de novas linhas de financiamento, com juros diferenciados, e estímulos à assistência técnica.

“Foi bastante produtivo. Entre prefeitos, secretários, empresários e representantes de entidades do setor, reunimos mais de 30 pessoas. O principal é que pudemos explanar a todos, principalmente ao poder público, o que seria preciso para a modernização das vinícolas que apresentem necessidade e das propriedades rurais”, complementa Cristiane.

Entre as propostas, destaca-se uma linha de financiamento específica para a atualização tecnológica da indústria e também dos produtores, por meio do Programa Nacional de Apoio e Financiamento da Agricultura Familiar (Pronaf). Quem aderir, passa a contar com juros diferenciados.

O funcionamento é simples: os vinicultores dizem aos produtores em qual variedade de uva estão interessados. Os produtores, então, plantam esta variedade específica, contando com assistência técnica e garantia de compra da uva a preço justo. “Assim, vamos eliminar os parreirais defasados e tornar os viticultores mais competitivos”, esclarece a presidente do Sindivinho-RS.

A necessidade de assistência técnica, a propósito, foi outro aspecto abordado com ênfase. O sindicato mostra preocupação com os cultivos familiares. “Precisamos de apoio das prefeituras para buscar verbas. Sem o envolvimento do poder público, fica muito difícil”, avalia Cristiane.

Depois deste primeiro, os encontros devem ganhar regularidade ao longo do ano. O principal motivo reside na urgência de ganho em competitividade do setor na região. “Foi muito importante esta primeira reunião, porque muita gente não tinha conhecimento da gravidade do problema. Em outras regiões a tecnologia vitivinícola está muito avançada”, conclui a presidente do Sindivinho-RS.

 

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Grupo SerraNossa



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA