Economia
17/07/2012 11:00:47, escrita por SERRANOSSA

Brasil e Argentina retomam comércio bilateral

Devido às barreiras de importação argentinas, exportação de móveis gaúchos caiu 72%

Em reunião realizada durante a Cúpula do Mercosul, no final do último mês, Brasil e Argentina parecem ter concordado em suavizar os impedimentos causados pelas barreiras argentinas para compras do exterior. Finalmente, um acordo entre os governos deve avançar para melhores resultados no que diz respeito ao referido comércio bilateral.

O agravante ficou evidenciado nas exportações brasileiras que, conforme divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), tiveram queda de 16% no primeiro semestre deste ano. No acumulado de janeiro a junho de 2011, os embarques externos para o país vizinho somaram US$ 10,43 bilhões. O valor é US$ 1,6 bilhão maior que o registrado neste ano.

No entanto, o fim das retenções de mercadorias nas alfândegas dos dois países começa a dar os primeiros resultados: na última semana, os argentinos liberaram a entrada de boa parte dos calçados barrados na fronteira por falta de licença de importação, e quase dois terços das autopeças brasileiras que aguardavam permissão para entrar no mercado local. O Brasil, em contrapartida, acelerou a emissão de licenças de importação para as azeitonas do vizinho. “Estamos a par de negociações que estão sendo feitas para que o comércio bilateral entre os dois países seja retomado”, confirma o presidente da Associação das Indústrias de Móveis do Estado do Rio Grande do Sul (Movergs), Ivo Cansan. 

A Argentina se comprometeu a acelerar as importações de produtos brasileiros, como carne suína, minérios, máquinas agrícolas, têxteis, móveis e calçados, enquanto o Brasil afirmou que vai começar a ampliar a entrada de itens argentinos como vinho, uvas passas, carros, azeitonas, azeite de oliva, maçãs, peras e queijo. “Após o início das negociações, a retomada do mercado ocorrerá gradualmente, uma vez que os dois governos concordam que a situação deve ser normalizada”, acredita Cansan.


Moveleiro

A Argentina, conforme Cansan, sempre foi um dos principais parceiros de exportações de móveis do Rio Grande do Sul. No entanto, conforme mostra o relatório da Movergs, as exportações gaúchas de móveis para aquele país alcançaram pouco mais de US$ 1,8 milhão em maio deste ano, registrando queda de 72% ante o mesmo período do ano passado e colocando a Argentina na 11ª colocação dentre os destinos das exportações gaúchas de móveis.

O presidente da Movergs diz que já era tempo de retomar este mercado tão importante. “As medidas anunciadas, mesmo que discretas, são uma esperança para os moveleiros gaúchos que objetivam a retomada destes 72% do mercado perdido neste período”, reflete.

Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA




Curta o SERRANOSSA