Economia
31/08/2012 11:38:38, escrita por SERRANOSSA

Luxo mais acessível

O mercado que antes era pequeno e somente para a elite, hoje pode desenvolver muitos negócios

Até pouco tempo, o luxo era algo distante para a maioria dos brasileiros, considerado como artigo de ostentação. “Hoje, ele está mais acessível e é uma atividade de negócio”, afirma Marinez Pretto, gestora do portal Luxo Brasil, socióloga com MBA em Mercado Premium, que acredita que ainda falta preparação das empresas no trato com este público. “Elas têm que fazer de tudo para ir ao encontro do que o cliente precisa e satisfazê-lo. Esse é o segredo do luxo”, resume. 

A temática foi abordada durante o Meeting Luxo Brasil, evento realizado em Bento Gonçalves na última quarta-feira, dia 29. O encontro, promovido pelo Portal Luxo Brasil, serviu para traçar panoramas de ações e técnicas voltadas a um mercado em franco crescimento no Brasil: produtos e serviços de altíssimo padrão.

A demanda desse nicho está hoje concentrada em cosméticos, perfumes, moda, joias, carros, barcos, jatos, smartphones, tablets, arte, decoração, hotelaria e turismo. Marinez lista os principais atributos do luxo: atemporalidade, inacessibilidade, universalidade, excelência, perfeição, originalidade, qualidade, tradição e beleza. 

Com o aquecimento da economia nacional, os brasileiros estão gastando como nunca. Outros fatores se somam para fazer com que o país seja um mercado em potencial para os artigos de luxo, como a crise internacional, a estabilidade da moeda, a facilidade dos brasileiros de adaptação com o novo e a divulgação do Brasil na mídia mundial.

Segundo ela, há três tipos de luxo: o de ostentação, o de atitude e o aspiracional. Esse último é o que vem sendo trabalhado. “Hoje quem determina o mercado é a classe C. Antigamente ele era determinado por quem estava no topo da pirâmide”, observa.  “A classe C emergente de hoje busca o que a ponta da pirâmide social buscava”, acrescenta.


Mercado local

No Brasil, o cliente de luxo é local, por isso a importância de aprender o perfil do consumidor.

“Durante anos a base do mercado de luxo se manteve a mesma. Como não havia a renovação dos clientes, foram desenvolvidas estratégias para atrair de diversas maneiras o mesmo cliente”, comenta. Homens e mulheres compram de maneira diferente. “Os homens compram com menor frequência, mas em maior quantidade e valor, enquanto as mulheres gastam menos em cada compra, mas frequentam mais vezes as lojas”, explica. 

Hoje, com a expansão do perfil do consumidor, o leque de clientes em potencial é maior.  “Ninguém bate o Brasil no quesito da qualidade dos serviços prestados. Aqui os consumidores são tratados com igualdade. Gentileza também é luxo”, sintetiza, dizendo que a delicadeza do vendedor é importante para fidelizar o cliente. “É preciso entender a motivação da compra e o perfil do consumidor. Neste mercado de luxo, atender bem não é um diferencial, é um pré-requisito”, afirma. 


Consumidores potenciais

“A conjuntura econômica cria uma gama de consumidores potenciais. Antes, o mercado era pequeno e para a elite. Hoje, pode desenvolver muitos negócios”, pontua Andre Braga, diretor da Rede Elemídia no Rio Grande do Sul, com MBA em Marketing e Comunicação e diretor de marketing da Coca-Cola.

São diferentes possibilidades de negócio, como shows e espetáculos, imóveis de alto padrão, iates e lanchas, aviões executivos, helicópteros, carros e motos de luxo, joias e equipamentos eletrônicos, como smartphones e tablets. Segundo ele, um meio a ser bem explorado é o das redes sociais. “As pesquisas mostram que 91% dos consumidores de luxo usam a internet para fazer consultas e comparações antes de comprar um produto”, comenta. “A preferência geralmente é pela marca. A escolha do local da compra se dá pelos diferenciais do atendimento”, complementa. 


Ações

O portal Luxo Brasil tem como principal propósito desenvolver o conhecimento do luxo e promover a conexão entre empresas e seus mercados alvos, através de seminários, cursos, workshops, meetings ou ações de projetos especiais, segmentados e de alta relevância, contribuindo efetivamente para a geração de negócios e resultados.


Dados

*As classes A e B crescerão 29% até 2014, segundo pesquisa realizada pela Fundação Getúlio Vargas;

*Em 2012 devem surgir 19 novos milionários por dia. 

*A maioria dos consumidores de luxo (66%) está localizada no eixo Rio de Janeiro-São Paulo. Entretanto este percentual já foi maior. Em 2005 correspondia a 79% do total. Na região Sul o índice era de 4% em 2005 e agora já chega a 22%;

*O mercado de luxo teve um crescimento de 33% de 2010 para 2011, movimentando R$ 12 bilhões. Para este ano a projeção é que de incremento para R$ 15 bilhões.


Reportagem: Carina Furlanetto 


Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA




Curta o SERRANOSSA