Economia
23/11/2012 14:39:50, escrita por SERRANOSSA

Aumento na venda de espumantes deve ser de 20%

Levantamento aponta que consumo deve ser superior aos 10 milhões de litros de 2011

O período de final de ano representa em torno de 50% do faturamento anual das vinícolas da Serra Gaúcha. Pelo menos é isso que apontou o levantamento realizado pelo SERRANOSSA com as principais vinícolas da região que mostrou que a sazonalidade tem forte impacto sobre o consumo.

De acordo com dados divulgados pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), nos últimos cinco anos o consumo de espumante nacional aumenta em um milhão de litros a cada ano. Só em 2011, foram comercializados mais de 10 milhões de litros de espumante nacional, sendo que quase três milhões correspondem a espumantes tipo moscatel. Já o consumo de marcas importadas foi de quase dois milhões de litros (veja tabela). Apesar de não fazer projeções de venda, o Ibravin acredita que a tendência é que o consumo siga aumentando, principalmente, porque o clima 2011/2012 foi excelente para a viticultura, desde o ciclo vegetativo até a colheita, o que proporcionou vinhos, sucos e espumantes de grande qualidade. 

De acordo com o diretor-geral da Vinícola Aurora, Alem Guerra, a previsão de crescimento de vendas de espumante é de 15% sobre o volume comercializado em 2011. O foco nas vendas será toda a linha de espumantes da vinícola, dando ênfase aos kits de prosseco e moscatel branco com duas taças. “São ótimas opções de presentes. Além disso, também vamos investir na divulgação dos vinhos frisantes”, afirma Guerra, apontando a estratégia de vendas. 

Já as expectativas da Vinícola Salton estão alinhadas para um crescimento de até 15% em relação ao ano passado, no entanto, no caso específico dos espumantes e frisantes, a projeção é maior, entre 18% e 20%. Já entre os vinhos finos e demais produtos, a ideia é que haja de 10% a 12% de crescimento. “Nossa perspectiva é comercializar 7,5 milhões de garrafas de espumante, de janeiro a dezembro, em 2012”, revela Lucinara Fronza, responsável pela divulgação dos dados. A Salton acredita que alavancarão as vendas o espumante Antônio Domenico Salton, do Projeto Gerações, que homenageia os integrantes da família e os kits com duas taças.

Na Miolo, espera-se alta de 10% nas vendas de espumantes no último quadrimestre e de 12% no acumulado do ano. Para os vinhos, a previsão é de um crescimento na faixa de 5% de janeiro a dezembro.

A Vinícola Garibaldi, por sua vez, tem a perspectiva de atingir o total de 1,1 milhão de garrafas vendidas até o final de ano. Com bebidas de marca própria, o objetivo é beirar um crescimento de 15% em relação a 2011. No acumulado geral até outubro de 2012, houve um acréscimo de 16% em relação ao período anterior, com destaque para o moscatel, que já teve um aumento de 35% nas vendas. “Nossa expectativa é crescer 20% até o final do ano”, divulgou o gerente de marketing, Maiquel Vignatti.

A Peterlongo, também de Garibaldi, aposta em um aumento de 10% a 20% em relação ao ano passado, enquanto a Vinícola Perini, de Farroupilha, projeta um aumento de 25%. 
Aumento de 9,3%A Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), através de dados do Instituto Segmento, afirma que a expectativa de crescimento é de 9,3% nas vendas dos champanhes e espumantes nos supermercados. A alta deverá ser puxada pelo tipo brut, já que o moscatel teve seu grande auge em 2011. “Estimamos que os moscatéis enfrente uma queda de 5%. Este espaço de mercado será ocupado pelas cervejas artesanais. É uma migração de consumo, sobretudo das mulheres”, prevê o presidente da entidade, Antônio Cesa Longo. Segundo ele, no total, os supermercados gaúchos deverão vender 4,5 milhões de garrafas de espumante – 95% delas produzidas no Brasil.


Reportagem: Raquel Konrad


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.


Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA


O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.




Curta o SERRANOSSA