Economia
25/02/2013 16:32:55, escrita por SERRANOSSA

Ministério da Agricultura garante apoio ao setor

Neri Geller anunciou crédito de R$ 35 milhões para ser usado em caso de necessidade

O secretário nacional de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, acompanhando do deputado federal Jerônimo Goergen, esteve reunido com representantes do setor vitivinícola de Bento Gonçalves. O encontro aconteceu na manhã da última sexta-feira na prefeitura e foi pautado pela renovação da portaria interministerial que regulamenta leilões de Prêmio para Escoamento de Produto (PEP). “Sempre que for necessário o governo vai intervir”, afirmou Geller.

Segundo ele, para que o produtor não seja prejudicado, há o crédito de R$ 35 milhões disponível caso haja necessidade de fazer intervenções. “A economia brasileira é movimentada pela produção do país e ela deve ser protegida”, apontou o secretário. A medida visa garantir a sustentação do preço do produto final e fazer com que o preço mínimo da uva seja cumprido.

Reivindicações

Representantes do setor vitivinícola se manifestaram para fazer reivindicações e cobrar mais atenção em algumas áreas por parte do Governo Federal. Eles solicitaram medidas que garantam que o preço mínimo da uva seja cumprido, já que, em alguns casos, a fruta perdeu a qualidade devido ao clima e algumas empresas não querem pagar o valor acertado, o que gera perda ao produtor.

Também foi feito o pedido de uma análise sobre alta tributação do vinho, que acaba possuindo um preço elevado para o consumidor final. Representantes cobraram de Geller que seja definido um prazo para a liberação do seguro agrícola, pois os produtores têm demorado para receber o valor. O secretário pediu para que os agricultores fortaleçam as associações e sindicatos. Ele recebeu, prefeito Guilherme Pasin, um documento que solicita pavimentação nas estradas vicinais do interior.

 
Leilões

Os leilões de Prêmio de Escoamento de Produto são intervenções feita pelo Governo Federal quando há desvalorização no setor. Caso o preço de venda seja menor que o de produção, a União repõe à empresa o valor que cobre essa diferença. A vinícola só poderá receber caso apresente notas certificando que a empresa pagou o preço mínimo da fruta ao produtor.


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.


Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA


O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.




Curta o SERRANOSSA