Economia
20/03/2015 09:45:37, escrita por SERRANOSSA

Páscoa promete movimentar a economia em Bento

Mais de 10 mil visitantes devem passar pela cidade durante o feriado

Considerada o principal feriado cristão e comemorada da maneira mais doce do ano, a Páscoa simboliza lucros para a economia. Em Bento Gonçalves, a maior expectativa é no setor de turismo. A ocupação hoteleira deve chegar a 100% e o fluxo de visitantes esperado é de 10 mil pessoas, segundo o secretário municipal de Turismo, Gilberto Durante. 

Além das pessoas que pernoitam na região, há os que vêm para conhecer a cidade somente por um dia, depois de passar pela Região das Hortênsias. “Quem vai para Gramado e Canela, destinos consagrados pela produção chocolateira, acaba vindo para cá também pelo vinho. As pessoas ainda estão descobrindo isso. O que temos aqui não tem lá, por isso, um produto complementa o outro”, observa o secretário. 

Para oferecer aos visitantes atrativos diferenciados, a prefeitura inicia no dia 30 a segunda edição do Bento em Páscoa. A programação reúne atividades culturais, lúdicas e cursos de harmonização gratuitos, além de pacotes diferenciados nos hotéis. “Retomamos o espírito pascal também com a decoração no Centro, as famílias gostam levar as crianças para tirar fotos e o comércio também vê uma boa oportunidade, não apenas para quem vende chocolates”, acrescenta Durante.


Supermercados

Esperando por um “coelho tímido” em meio ao cenário de instabilidade econômica, a Associação Gaúcha de Supermercados (Agas) aposta em chocolates menores nas prateleiras do varejo neste ano, oferecendo mais opções em ovos pequenos, bombons e tabletes. “O gaúcho está com a intenção de presentear mais pessoas, mas com certeza serão ovos de chocolate menores. Em anos anteriores, os consumidores procuravam ovos grandes para agradarem as crianças, enquanto neste ano a tendência é que procurem ovos menores, mas com brinquedos. É uma mudança nos hábitos de consumo”, avalia o presidente da entidade, Anônio Cesa Longo.

A data festiva é a segunda melhor em vendas para o setor, atrás apenas das festas de final de ano. As empresas do segmento no Estado projetam um crescimento real médio de 2% em relação ao feriado do ano passado. Já os preços estão 9% superiores em comparação a 2014.


Oportunidade de renda extra para produção caseira

O feriado que traz o chocolate como principal ingrediente para presentear representa felicidade para quem produz e comercializa produtos caseiros. Além de quem trabalha o ano inteiro produzindo doces, há quem aproveite a data para se inspirar e oferecer produtos diferenciados para uma demanda cada vez maior pela gastronomia artesanal. 

Após trabalhar como consultora de vendas em uma empresa de segunda a sexta-feira, Jóice Dias dedica cerca de três horas de suas noites (além dos finais de semana) à produção de trufas, bolos e bombons. Para ela, Páscoa é sinônimo de muito trabalho e bons lucros, adicionando ovos às opções oferecidas aos clientes. “É uma renda boa para quem tem e para quem não tem o que fazer, além de ser uma delícia”, recomenda. 

Esta é a segunda Páscoa em que ela vende seus chocolates caseiros. No ano passado, comercializou cerca de 60 ovos e 300 trufas, além de um pedido de doces personalizados para uma empresa. “O principal diferencial dos produtos caseiros está justamente em poder produzir o que o cliente pede”, acrescenta a vendedora, que divulga as guloseimas que confecciona nas redes sociais.

É também através do Facebook que a jovem Damáris Lunkes tem seu principal ponto de venda. Ela oferece ovos de chocolate com recheios e acompanhamentos diferenciados, como negrinho, branquinho, paçoca, biscoito, entre outros, conforme o gosto do consumidor. “Optei por fazer esses ovos por ser uma opção mais especial para o cliente. Não é simplesmente ir às prateleiras do mercado e pegar um ovo pronto, é algo escolhido a dedo”, afirma a estudante de Arquitetura. 

Ela inseriu a produção dos chocolates em meio à rotina das aulas na Unisinos, em São Leopoldo, e do trabalho em um escritório em Garibaldi. “Já vendia trufas na faculdade no início da minha graduação e sempre gostei de fazer trabalhos manuais. Mas o que me motivou a fazer os ovos agora foi a necessidade de conseguir uma renda extra para visitar meu namorado, que se mudou recentemente para a Finlândia”, conta. 

Após a divulgação na internet, a procura foi tão grande que as encomendas já estão encerradas. Em uma semana de postagem de fotos, Damáris alcançou 170 clientes. “Por ser um trabalho demorado e eu estar fazendo sozinha – além de contar, claro com aquela ajudinha básica da mamãe – tive que limitar os pedidos. Mas é um trabalho muito gratificante, estou superfeliz em estar levando algo especial e um pouco de amor em forma de doces para os clientes”.


Reportagem: Priscila Pilletti


É proibida a reprodução, total ou parcial, do texto e de todo o conteúdo sem autorização expressa do Grupo SERRANOSSA.


Siga o SERRANOSSA!

Twitter: @SERRANOSSA

Facebook: Grupo SERRANOSSA


O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários publicados no portal.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA