Economia
04/09/2020 17:27:16, escrita por Eduarda Bucco

Especialistas preveem impacto de 90% no setor de turismo da Serra Gaúcha em função da pandemia

A incerteza é a palavra que vem sendo adotada para descrever o cenário da saúde e da economia diante da pandemia do novo Coronavírus. Apesar disso, projeções de especialistas indicam que, entre as áreas mais afetadas, o turismo é um dos setores que aparece de forma mais marcante.  

Em Bento Gonçalves, a Giordani Turismo vem estudando formas de minimizar os efeitos da pandemia desde o dia 15 de março, quando foi realizado o último passeio da Maria Fumaça – Trem do Vinho. “Como todas as empresas, estamos sendo impactados, pois estamos há quase um mês sem exercer nossas atividades. O setor turístico deve ser o ramo da economia que terá uma retomada mais lenta, pois neste momento ninguém pensa em viajar, seja por temor ao vírus ou por conta da situação econômica”, analisa a proprietária da empresa, Susana Giordani. 


 

Para a diretora executiva do Sindicato Empresarial de Gastronomia e Hotelaria, Região Uva e Vinho (SEGH), Marcia Ferronato, logo na primeira semana do fechamento dos empreendimentos, as preocupações elevaram as tensões entre empresários. “Nosso associado está buscando orientações jurídicas, de procedimentos, normas para se adequar no combate à pandemia. Com o passar do tempo, entretanto, percebeu que não será simples e que o mundo está vivendo um dilema”, comenta. 

Até o momento, o sindicato estima que o impacto nos setores de hotelaria e gastronomia deverá chegar à marca de 90%, levando em consideração as declarações dos associados. “O que percebemos é que a retomada será gradual e lenta. Hoje os meios de hospedagem e a gastronomia atendem uma pequena demanda na sua grande maioria proveniente dos setores essenciais que seguem trabalhando”, analisa Marcia. 

Sem estimativas de quando a situação poderá apresentar melhoras, Márcia acredita que 2020 será um ano em que a criatividade do empresariado precisará ser posta em prática. “Com nossos associados vemos dois momentos de retomada: um com clientes locais/regionais e, outro, com o turista, que reside em distâncias maiores”, comenta. 

Como recomendação ao setor, Marcia propõe uma análise calma e precisa, negociações com fornecedores, estudo dos auxílios e flexibilizações do governo e da convenção coletiva extraordinária elaborada pelo SEGH. “O SEGH criou um plantão de atendimento ao associado com equipe, assessoria jurídica e o próprio presidente atendendo. O foco está no repasse de informações oficiais e confiáveis, além de, dentro do possível, levar serenidade ao empresário. Então recomendo que os empresários conversem com seu contador e com a nossa equipe, para tomar as medidas mais sensatas para seu negócio. É um momento de ter fé. Vivemos um tsunami, mas também sabemos que nossos empreendedores são determinados e estão fazendo sua parte para superar”, analisa.

Para o secretario de Turismo de Bento Gonçalves, Rodrigo Parisotto, o cenário pode ser encarado a partir de uma visão mais otimista. “Sabemos de todo impacto que o Coronavírus tem gerado, mas ao mesmo tempo preciso lembrar que nas grandes crises mundiais o turismo sempre teve seu papel de protagonista. Passou por momentos difíceis, mas foi a solução para inúmeros problemas, como a falta de emprego e renda. Países que sempre sofreram com a pobreza extrema encontraram no turismo uma luz e, certamente, neste momento não será diferente”, acredita. 

Pensando por essa perspectiva, o secretário ressalta que o momento é de cuidado e de preservação de vidas e que não há como precisar os prejuízos. “Tudo está completamente incerto. Têm pessoas que não estão usando máscaras e que não respeitam filas, então tudo pode mudar, tanto para o bem quanto para o mal. Hoje, o RS proibiu o acesso de ônibus de outros estados, então excursões não podem entrar. A gente depende de várias questões para ter um cenário efetivamente real, para planejar algo com certeza. Mesmo assim, já estamos trabalhando em um plano de retomada das atividades de uma forma muito segura”, conclui. 

Foto: Divulgação/Conceito




Curta o SERRANOSSA