Economia
02/08/2021 17:12:57, escrita por SERRANOSSA

Exportações da indústria gaúcha crescem 4,9% em janeiro

Ao totalizarem US$ 784,2 milhões em janeiro, as exportações da indústria do Rio Grande do Sul aumentaram 4,9% na comparação com o mesmo mês de 2020. O resultado representa a segunda alta consecutiva, após sucessivas quedas no ano passado, mas ocorre sobre uma base de comparação muito baixa. Trata-se do segundo menor patamar para janeiro nos últimos cinco anos. “A recuperação ainda não ocorre na maioria dos setores exportadores, e dos 23 segmentos da indústria de transformação que registraram embarques, apenas 12 assinalaram aumento do valor exportado nessa base de comparação”, afirma o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry.

O destaque positivo vai principalmente ao setor de Tabaco, que exportou um total de US$ 126,5 milhões em janeiro, crescimento de 86,2% (mais US$ 58,5 milhões) em relação ao mesmo período de 2020, em virtude dos embarques antecipados para a China. Contribuíram também para o resultado a elevação de 6,3% nas vendas de Couro e calçados (+US$ 3,8 milhões), de 60,9% em Máquinas e equipamentos (+US$ 23,9 milhões), 48,2% em Produtos de metal (+US$ 13,3 milhões) e 48,2% em Madeira (+US$ 9,1 milhões). Tiveram ainda participação relevante Metalurgia, com 85,4% de aumento – mais US$ 5,8 milhões – e Móveis, com 24,7% ou  mais US$ 2,9 milhões.

Em sentido inverso, as maiores quedas vieram de Químicos (-17,2%), Veículos automotores (-26,3%), e Celulose e papel (-46,7%). O setor de Químicos experimentou retração das vendas para Bélgica (-US$ 7,1 milhões) e Estados Unidos (-US$ 15,2 milhões), enquanto Veículos automotores e Celulose e papel reduziram os embarques para a Argentina (-US$ 16,6 milhões) e China (-US$ 13,9 milhões), respectivamente. O setor de Alimentos, depois de experimentar crescimento durante os primeiros meses da pandemia, manteve a tendência de desaceleração, com queda de 2,1%. Ainda assim, as exportações do Complexo carne cresceram, com as vendas de Carne de boi in natura (+8,9%), Carne de boi industrializada (+16,7%), e Carne de suíno in natura (+15,3%).

A China se manteve como principal destino dos embarques de produtos gaúchos, com um aumento de 19,7%, puxado pela alta dos setores de Tabaco, Alimentos, Couro e calçados e Madeira. Em compensação, as exportações para os Estados Unidos e Argentina recuaram fortemente, 8,1% e 11%, respectivamente. Contribuíram para isso a diminuição das exportações de Químicos para os americanos e de Veículos automotores para os argentinos.

IMPORTAÇÕES

Em janeiro, o Estado adquiriu US$ 609,1 milhões em mercadorias, o que representa uma demanda 4% inferior nas importações em relação a janeiro de 2020. Nas Grandes Categorias Econômicas, as compras registraram aumento de Bens de capital (8%) e de Bens de consumo (22,7%). Já as importações de Bens intermediários apresentaram leve queda (-1,8%), enquanto Combustíveis e lubrificantes
(-68,2%), uma retração mais significativa.




Curta o SERRANOSSA