Esporte
08/11/2011 08:29:48, escrita por SERRANOSSA

Fiasco, tumulto e derrota para o Nova Prata

Com futebol pobre e sem criatividade, Esportivo perde em casa por 2 a 1 para o Nova Prata

A estreia do Esportivo no Estádio Montanha dos Vinhedos pela Copa Laci Ughini, a Copa RS, na noite desta quarta-feira, dia 10, não poderia ter sido pior. Além de um futebol pobre, desorganização tática e falta de objetividade, o torcedor alviazul viu seu time perder em casa para o inexpressivo Nova Prata, equipe amadora que até o ano passado disputava a Copa Libertadores do Nordeste. A equipe do técnico Nestor Simionato levou 2 a 1 e ainda sentiu de perto a fúria dos poucos torcedores que foram ao estádio. O Esportivo tem apenas um ponto na competição e volta a jogar neste sábado, dia 13, contra o líder Santo Ângelo, na Montanha dos Vinhedos.

O jogo começou nervoso e o Esportivo não se encontrava em campo. O técnico do Nova Prata, Ademir Troitinho, armou duas linhas de quatro e deu um nó tático em Nestor Simionato. O gol dos visitantes saiu no início do jogo, com Japa, que tocou na saída do goleiro Tales. A equipe alviazul continuava perdida e o time amador se sentia em casa. Teve a chance de "matar" a partida quando o atacante perdeu o gol cara a cara com o goleiro do Esportivo. O alviazul terminou a primeira etapa sem nenhuma chance clara de gol.

Na segunda etapa, Simionato mexeu no time. Luciano Marreta entrou no lugar de Diego Bottin e o Esportivo melhorou. O empate veio logo em seguida, numa bobeira do goleiro Jonathan, que segurou uma bola recuada pela defesa. Na cobrança da falta, Eder Ceccon empatou a partida. A partir daí só deu Esportivo, que perdia uma chance atrás da outra. Porém, nos 10 minutos finais a equipe perdeu força e voltou a ser dominada pelo Nova Prata, que se assanhava no ataque. Num lance aparentemente inusitado, a bola já estava dominada pela equipe do Esportivo, quando Navarini chutou prensado com Yuri e acabou encobrindo o goleiro Tales: 2 a 1 para o Nova Prata.

Após o gol, o jogador pratense ironizou a torcida alviazul e provocou um tumulto generalizado. Eder Ceccon foi até o banco do Nova Prata cobrar satisfações do jogador e inflamou os torcedores. Os dirigentes do Esportivo também foram cobrar o atleta e tiveram que ser contidos pela Brigada Militar. Em meio ao tumulto, o time do técnico Nestor Simionato tentava empatar a partida, mas parou nas belas defesas do goleiro Jonathan.  O jogo terminou e a cobrança em cima dos jogadores e comissão técnica foram imediatas. 

Marcelo Maciel

Siga o SerraNossa!

Twitter: http://www.twitter.com/serranossa

Facebook: Jornal SerraNossa

Orkut: http://www.orkut.com.br




Curta o SERRANOSSA