Esporte
15/01/2016 22:39:55, escrita por SERRANOSSA

Bento Gonçalves Snakes na elite do estado

Pela primeira vez na história, Bento Gonçalves vai contar com um representante local no Campeonato Gaúcho de Futebol Americano, o Snakes. O esporte, com raízes nos Estados Unidos e que ganha cada vez mais adeptos pelo mundo afora, ainda é novidade na cidade, mas gera boas expectativas para a participação na competição estadual.

 

Com o surgimento de várias equipes pelo estado, naturalmente, veio a necessidade de realizar uma competição que pudesse reunir todos os amantes do esporte. A federação gaúcha da modalidade nasceu em 2014 e teve seu primeiro torneio oficial a nível estadual em 2015.

 

Antes disso, foram realizadas três competições no modelo full contact (sem equipamentos), organizadas de forma independente pelas equipes. Em 2008, o primeiro campeonato gaúcho da modalidade reuniu os times Porto Alegre Pumpkins (primeira equipe gaúcha, fundada em outubro de 2004), Porto Alegre Predadores (criado em 2007, a partir de uma divisão no Pumpkins e que viria a ser tornar Porto Alegre Bulls, em janeiro de 2010), Bagé Baguals (2008) e Santa Cruz Chacais (2007), anfitrião do evento.

 

Na Capital do Vinho, a equipe do Snakes existe graças à paixão de vários atletas, comissão técnica e membros da diretoria do clube, que buscam consolidar o esporte no município. O técnico do time é o caxiense Gustavo Rech, um dos precursores do futebol americano em Caxias do Sul, com o surgimento da equipe do Esporte Clube Juventude.

 

O time de Bento iniciou os trabalhos e a preparação para o Campeonato Gaúcho no último domingo, dia 10. Antes do treinamento, na chegada dos atletas, muita alegria e motivação pelo ano que começa: o primeiro ato foi um encontro no centro do gramado com a comissão técnica, que enfocou a questão do respeito aos adversários dentro e fora das quatro linhas.

 

Na avaliação de Rech, o principal objetivo, no início do trabalho, é dar continuidade ao que já foi feito em 2015 e a uma preparação de forma rápida para o Gauchão, que inicia no dia 13 de março. O nível, neste ano, será alto, com muitas equipes qualificadas. “Existem clubes que surgiram antes de nós e já disputam o gaúcho há tempos. Eu sou bem categórico ao dizer que o que fez com que nós tivéssemos essa evolução do ano passado para cá foi o planejamento, algo que ainda permanece hoje, Não é fácil você montar um time. Isso aconteceu a partir de março, quando nós fizemos o primeiro tryout, no qual os jogadores entraram no elenco. Sem essa organização, nada seria possível”, analisa.

 

O treinador salienta, ainda, a importância de equipar todos os atletas a tempo para a competição. Há, também, um amistoso agendado para antes do Gauchão, com a equipe do São Leopoldo Mustangs, no dia 31 de janeiro, no Estádio da Montanha, a portas fechadas. Além do planejamento para a estreia, existe uma organização para o período dos jogos – o objetivo do Snakes é implementar uma filosofia de treino, jogo e convívio para os atletas que fazem parte do grupo.

 

Sobre o grupo

O Snakes mantém as mesmas caras de 2015, quando encerrou a temporada. As mudanças nos treinamentos aconteceram, principalmente, com relação à periodicidade, pois os encontros passaram agora de uma para duas vezes por semana. Quando o assunto é contratações, o clube garante estar analisando nomes e pensando em parcerias com outras equipes da região.

 

A primeira vez

Tudo vai ser novo para o grupo de Bento Gonçalves: será a estreia em competições, com atletas que, na sua maioria, não têm experiência e vão encarar, pela primeira vez, um jogo oficial. No outro extremo, os adversários são extremamente qualificados, o que, segundo o comandante do Snakes, dará muito trabalho para a equipe de Bento. “Alguns times podem ser destacados, como o Santa Cruz Chacais, que dispensa comentários em relação à qualidade da equipe. O Santa Maria Soldiers é outro time que se sobressaiu no ano passado, disputando Campeonato Brasileiro e competições a nível nacional. Também tem o Ijuí Droners, que há muito tempo vem disputando Campeonato Gaúcho e também jogou a Copa Sul. Nós temos muito a aprender com esses adversários, principalmente, no que se refere a respeito, e nós vamos respeitá-los muito, porque todos esses clubes trazem, em seu histórico, uma bagagem muito mais ‘carregada’. Nosso plantel está iniciando como se fosse o ‘bebê’ do Campeonato Gaúcho”, compara o treinador.

 

Os dois primeiros jogos do Snakes em Bento acontecerão no Estádio da Montanha, nos dias 13 de março, contra o Chacais, e 3 de abril, diante do Soldiers. O clube convoca a comunidade para apoiar e dar força fora de campo. Para quem não conhece o esporte, será uma oportunidade interessante, já que, nas partidas em Bento, haverá um locutor que fará uma narração quase “didática” do jogo. Rech destaca que, depois que o espectador compreende a “engrenagem”, geralmente, se apaixona pelo esporte. “Eu era um leigo no assunto. Então, comecei a olhar aquilo e pensar: ‘meu Deus, como é que funciona isso?’. Com esse entendimento do esporte, cria-se paixão pelo jogo”, completa o coach.

 

Herança para o município

Quando o assunto é o futuro do futebol americano no município, as expectativas são as melhores, devido à rápida evolução do plantel e à forma como o esporte está se estabelecendo em Bento. “É uma sementinha que foi plantada e está germinando. A cidade acolheu o Snakes como um filho e nós usamos isso também como motivação aos atletas, explicando a responsabilidade que eles têm ao representar o município no principal campeonato de futebol americano do estado. Esse é um primeiro passo dentro de uma competição, mas logo, lá na frente, nós poderemos estar em outro degrau, como um campeonato brasileiro, e isso será representativo para a cidade”, finaliza o comandante do time bento-gonçalvense.

 

Foto: Vinicius Mieznikowski



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA