Geral
17/05/2019 16:18:59, escrita por SERRANOSSA

Buracos, desníveis e mais buracos

É bem provável que você tenha ouvido alguma história recente de alguém que estourou um pneu, entortou uma roda ou teve problemas no carro após passar por um buraco na estrada. É possível que você mesmo tenha sido vítima de um descaso histórico que tem exigido atenção (e paciência) redobrada dos motoristas: a precariedade da estrutura das rodovias estaduais que dão acesso a Bento Gonçalves.

 


Foto: Greice Scotton Locatelli | RSC-453


Nesta semana o SERRANOSSA percorreu duas das rodovias que são campeãs de reclamação: a RSC-453, que liga Bento Gonçalves e Garibaldi a Farroupilha, e a VRS-805, principal acesso a Pinto Bandeira. A situação mais grave é a da 453, sobretudo em razão do movimento muito maior, especialmente de caminhões. No trecho situado entre os quilômetros 106 e 107 (entre a sede campestre do Clube Susfa até o trevo de acesso ao Barracão, a situação é lamentável. São tantos buracos que em muitos pontos é impossível desviar. Na estrada a Pinto Bandeira, o asfalto se deteriora um pouco mais a cada dia, uma degradação acelerada pelo clima úmido.

 


Foto: Greice Scotton Locatelli | RSC-453


A situação tem mobilizado prefeituras e entidades da região. O prefeito de Bento Gonçalves, Guilherme Pasin, também presidente da Associação dos Municípios da Encosta Superior do Nordeste (Amesne), tem cobrado respostas e ações. Na última sexta-feira, dia 10, o Daer recebeu reclamações durante uma reunião da Amesne.

 


Foto: Greice Scotton Locatelli | VRS-805


O que diz o Daer

Nesta semana, questionado sobre a situação das duas rodovias vistoriadas pelo SERRANOSSA  e também da ERS-446, que liga Carlos Barbosa a São Vendelino, o Daer informou que está tratando o assunto como prioridade e buscando incluir dentro do contrato de Conserva Rotineira da região de Bento Gonçalves o fornecimento de material asfáltico para efetuar reparos nas rodovias. Não foi informado, no entanto, prazo para que isso ocorra.

 

Confera os vídeos que mostram a situação das estradas citadas na reportagem. 
Acesse: https://serranossa.com.br/videos.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA