Saúde
14/06/2019 15:10:16, escrita por Raquel Konrad

Tacchini investiu mais de R$ 22 milhões em recursos próprios no SUS somente em 2018

Na teoria, os atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) prestados pelo Hospital Tacchini deveriam ser pagos pelo Poder Público municipal, estadual e federal. Mas, na prática, não é bem isso que tem acontecido. Somente em 2018, o hospital de Bento Gonçalves bancou 58,08% do total que deveria ser recebido das três esferas de governo. Os dados foram apresentados na última segunda-feira, dia 10, para representantes das Associações de Moradores de Bairros, da administração municipal, do Conselho Municipal de Saúde e para imprensa na tradicional prestação anual de contas do Tacchini. 



Na ocasião, a instituição apresentou números referentes ao ano de 2018 e ao primeiro quadrimestre de 2019. Em 2018, o Hospital Tacchini aportou R$ 22,6 milhões para cobrir os custos gerados para atendimento pelo SUS. Há 19 anos, a tabela não sofre reajustes e as despesas seguem aumentando e sendo absorvidas pela instituição. 
De acordo com o superintendente do Hospital Tacchini, Hilton Mancio, o valor repassado pelos governos não é suficiente para cobrir a plenitude da prestação de serviço. “Nós temos aproximadamente R$ 39 milhões recebidos e um custo de mais de R$ 61 milhões. O Tacchini teve que complementar em R$ 22 milhões para fechar esta conta. Nós trabalhamos com um modelo de gestão muito preciso em cima de todos os processos. Um modelo que busca eficiência constante, redução de desperdício de toda a natureza, sem que isso comprometa a segurança e qualidade do serviço ofertado à população. É importante dizer que isso não significa que iremos fazer economia em luvas, por exemplo, mas é necessário que os repasses sejam revistos e que a tabela seja reajustada”, comenta.
Em 2019, os números são ainda mais preocupantes: os recursos encaminhados pelo governo são de R$ 12 milhões, mas os custos já chegam a R$ 21 milhões. Ou seja: o Tacchini já aporta mais de R$ 8 milhões em recursos próprios para bancar os atendimentos do SUS somente neste ano. 
Mesmo diante das dificuldades, o Tacchini segue investindo para melhor atender a população: está prestes a entregar uma nova sala de espera no saguão principal do hospital, com mais conforto, sofás e espaço para quem espera os horários de visitação dos pacientes; até o final do ano deve aumentar o número de leitos da UTI de 20 para 30 unidades, além de propostas em longo prazo, como o almejado edifício-garagem, que já tem projeto pronto. 

 

Atendimentos no Tacchini 2019

- 200 mil atendimentos;
- 8.885 internações;
- 29.652 exames de imagem (raio-X, ecografia, 
tomografias, entre outros);
- 188.970 exames de laboratório;
- 16.826 sessões de radioterapia e quimioterapia;
- 4.678 cirurgias
- 1.007 partos

Receitas provenientes de atendimentos ao SUS: 

R$ 39 milhões (número arredondado), sendo:
R$ 26,3 milhões do governo federal
R$ 5 milhões do governo do Estado
R$ 7,5 milhões da prefeitura municipal

Custos para atendimento ao SUS: R$ 61,7 milhões

Recurso próprio aportado para atendimento ao SUS: R$ 22,6 milhões 


Fonte: Hospital Tacchini



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA