Geral
10/10/2019 15:31:38, escrita por Greice Scotton Locatelli

Novo comandante dos Bombeiros: um desafio proporcional à responsabilidade

O major Márcio Müller Batista, que já atuou como subcomandante, agora recebe a missão de comandar os Bombeiros de Bento Gonçalves

Uma história de 17 anos de dedicação, coroada com um desafio gigante. O major Márcio Müller Batista, novo comandante dos Bombeiros de Bento Gonçalves, assume com a missão de manter o nível e a expressão que o quartel conquistou nos últimos anos. Ele substitui o major Sandro Carlos Gonçalves da Silva, que deixou o cargo depois de 8 anos para liderar a Coordenadoria regional de Proteção de Defesa Civil, em Caxias do Sul.

“Eu já conhecia a estrutura porque atuei como subcomandante em 2018, mas isso não diminui o tamanho do desafio. A Companhia Especial atende 25 municípios da região e completa agora em outubro 65 anos de história. Queremos manter o que vem dando certo e trazer inovações para qualificar ainda mais o nosso atendimento. E nesse sentido é preciso dedicar atenção especial tanto para equipamentos quanto para o efetivo”, comenta.

Os primeiros projetos já estão em andamento, entre eles a ampliação das instalações, já que o espaço já não comporta o número de viaturas. “A ideia é construir um anexo, uma garagem subterrânea embaixo da quadra, que fica nos fundos do quartel. A estrutura seria erguida e o espaço abaixo dela serviria como garagem”, detalha. A mudança também ocorreria nos alojamentos, já que o número de soldados mulheres cresceu – hoje são sete servidoras em atividade.

Embora a estrutura dos Bombeiros de Bento Gonçalves seja considerada uma das melhores do Estado, algumas necessidades em termos de equipamento vêm sendo percebidas. É o caso de uma nova unidade de resgate (ambulância) para substituir a atual, que já tem mais de 10 anos de uso, e de uma autoplataforma para combater incêndio em altura. “A cidade cresceu muito e o que temos já não é suficiente. A compra de uma autoplataforma é um investimento alto, em torno de R$ 2 milhões, mas traria uma segurança maior para a comunidade, já que chegaria a 30 metros de altura”, argumenta o novo comandante. Os Bombeiros têm uma Escada Magirus que atinge o máximo de 20 metros, entretanto o equipamento não está mais sendo utilizado por problemas no sistema de ancoragem. “Não temos garantia de conserto por se tratar de um equipamento antigo, para o qual não se consegue peças”, explica. Outra ideia é a aquisição de um sistema negativo que permita tanto atendimento em altura quanto em locais de difícil acesso, como ribanceiras. 

 


O major Márcio Müller Batista, que já atuou como subcomandante, agora recebe a missão de comandar os Bombeiros de Bento Gonçalves (Foto: divulgação)

 

“Os projetos ainda estão no início, mas queremos já traçar as metas para os próximos anos para encaminhar as demandas para o Conselho Gestor do Fumrebom [Fundo Municipal de Reaparelhamento dos Bombeiros] para que gradativamente sejam implementadas. Além disso, queremos seguir trabalhando firme na qualificação dos nossos servidores, mantendo atualização e a troca de experiências que permite disseminar o conhecimento”, comenta o major, explicando que sempre que um membro do efetivo participa de uma capacitação, repassa as informações para o restante da equipe. “Dessa forma conseguimos nos aprimorar para qualificar o atendimento e dispor do que há de melhor em termos de uso de ferramentas e técnicas. Os efeitos de um acidente, por exemplo, podem ser minimizados na mesma proporção que a qualidade do suporte oferecido”, explica o major.

Efetivo

Embora hoje o efetivo não seja uma preocupação imediata, o major Batista cita algumas dificuldades relacionadas à falta de pessoal. Uma delas é a impossibilidade de reabertura do quartel do bairro Fenavinho. “Hoje nosso efetivo é jovem, com média de tempo de serviço de 6 a 7 anos. Já estivemos em situação bem pior, mas isso não diminui a necessidade de mais pessoas, especialmente para reabrir o segundo quartel. Por ora isso não é possível”, lamenta.

Canil

Outro projeto que já está começando a tomar forma se refere ao canil. Os labradores Billy e Xena, treinados desde filhotes para atuar no encontro de pessoas vivas, precisarão ser aposentados em função de um problema de saúde – eles são irmãos e apresentaram uma deficiência óssea que dificulta as atividades. O pastor belga Wolf e a labradora Jade seguem em atividades: eles são certificados para localização de pessoas vivas e devem passar por uma nova especialização em Santa Catarina, para que possam atuar também na busca de cadáveres. Outra iniciativa é uma nova cria, gerada a partir da labradora Maia. “Essa ninhada será preparada desde o início para atuar nos Bombeiros e temos grandes expectativas de sucesso”, antecipa o novo comandante.

Baile beneficente

Em comemoração aos 65 anos dos Bombeiros Militares de Bento Gonçalves, acontece no dia 26 de outubro, a partir das 20h, um Baile Beneficente. O evento, que será realizado na Fundaparque, terá toda a verba arrecadada revertida para a Liga de Combate ao Câncer. O jantar, assinado pelo Buffet Dalla Costa, terá bebida liberada. Após, haverá show com a banda os Comparsas. Os ingressos, limitados, podem ser adquiridos no quartel ao valor de R$ 125 por pessoa.



O SERRANOSSA não se responsabiliza pelas opiniões expressadas nos comentários deixados pelos leitores e adverte que o conteúdo pode ser reproduzido em reportagens. O teor das mensagens está sujeito a moderação.



Curta o SERRANOSSA