Geral
31/07/2020 15:33:31, escrita por Raquel Konrad

Coordenador da UPA rebate acusações feitas por família de idoso

Após publicação de matéria que mostrou o relato da família de Alberto Tristacci, de 81 anos, sobre a espera por um leito na Unidade de Pronto Atendimento (UPA), além de diversas outras denúncias sobre a estrutura do espaço e do diagnóstico de seu estado de saúde, o coordenador da UPA de Bento Gonçalves, Amauri Vargas, enviou nota ao SERRANOSSA, rebatendo as acusações.

Confira a nota na íntegra:  

“Protocolos mundiais orientam, dada a pandemia que nos acomete, que em todos os sintomáticos respiratórios não existem formas de afastar coronavírus clinicamente ou com testes rápidos logo na chegada. Para tal comprovação de afastamento do diagnóstico de covid, que é realizado por meio de teste PCR, exame que leva desde várias horas a alguns dias até o resultado ser informado. 

Importante ressaltar que o paciente não estava aguardando leito enquanto estava na barraca. Ele aguardou o resultado dos exames, já que não atendia critérios de internação em sinais vitais da chegada. Enquanto isso foi pedido pelo médico assistente que o paciente ficasse próximo a ele para as reavaliações frequentes, que aconteceram. Após os resultados dos exames, conforme as alterações foi optado pela internação e posterior investigação dessas alterações com exames mais aprofundados, que não evidenciaram as alterações relatadas na matéria. Pelo respeito aos familiares e ao paciente, e cumprindo a ética médica diagnósticos  não serão debatidos nas páginas de um jornal. 

No horário que o vídeo ocorreu, são 2 médicos atendendo na barraca: no vídeo, fora usado um momento que, desses 2 médicos, por poucos minutos, 1 saiu para buscar o resultado de raio X dentro da unidade, e o segundo médico foi organizar o leito do paciente. 

Não houve qualquer atraso em atendimento necessário ou diagnóstico no paciente. Nenhum paciente até hoje deixou de ser atendido por falta de estrutura. Salvar vidas é a nossa prioridade. Neste tempo todos os familiares foram comunicados e estavam cientes do que foi realizado pela equipe médica. Lamentamos profundamente que o debate tenha saído da esfera hospitalar, estamos sempre à disposição.”

A matéria completa pode ser conferida aqui. 

 




Curta o SERRANOSSA