Geral
17/09/2020 14:39:48, escrita por Raquel Konrad

Uso de termômetro não causa risco à saúde, asseguram especialistas

Não é de hoje que as fake news têm causado problemas e desinformação à população. A mais recente diz respeito ao uso de termômetros que medem a temperatura corporal. Mensagens falsas espalhadas nas redes sociais e por aplicativos de mensagens afirmam que o uso do equipamento pode causar danos ao cérebro e até câncer. No entanto, especialistas ouvidos pelo SERRANOSSA afirmam que não há nenhuma evidência científica de que o termômetro infravermelho cause qualquer problema à saúde.

visão de médico
De acordo com o médico neurologista Gustavo De David, o termômetro é um aparelho totalmente inofensivo, que mede a temperatura a distância. “Ele é muito benéfico no combate à pandemia. Imagina se tivéssemos que colocar um termômetro na boca ou nas axilas de cada pessoa? Não tem realmente nenhuma evidência científica de que o termômetro infravermelho cause qualquer problema intracraniano. Basta dizer que nós temos raios infravermelhos na luz solar e estamos expostos a eles todos os dias”, explica.
O médico comenta que os termômetros não utilizam laser de UV (raios ultravioletas) e sim ondas de luz de UV, que não tem nenhuma chance de causar dano a qualquer parte do cérebro. “A luz infravermelha tem utilização médica ampla há bastante tempo podendo ser usada para tratamentos de lesões como artrite, artrose, lesões musculares, e na fisioterapia, com supervisão de profissional habilitado”, explica. Questionado se é mais eficiente usar no pulso ou na testa, Gustavo afirma que não muda nada. “Não tem risco em lugar algum”, pontua.

visão de Físico 
O físico Alex Luiz Bareta corrobora com o médico e afirma que uso do termômetro não causa nenhum dano a saúde. “O aparelho não emite infravermelho, o corpo é que emite (como qualquer objeto aquecido) e mesmo se emitisse o poder de penetração é praticamente nulo”, garante. Ele ainda esclarece que a luz de cor vermelha é um feixe de luz visível que tem apenas a função de servir como uma mira. “Não devemos dizer que essa luz é um raio infravermelho, pois o mesmo, em condições normais, é invisível para o olho humano”, detalha.
Para o físico, deve-se evitar medir no pulso, visto que o local tem uma área muito menor do que a da testa e pode não demonstrar a temperatura correta do corpo. “Quando se mede no pulso, o aparelho capta mais a temperatura do próprio ambiente do que do corpo. Além disso, no pulso, por ser uma região de extremidade corpórea, tem muito mais variação térmica. Pense comigo: quem nunca ficou com a mão literalmente gelada em um dia mais frio?”, questiona ele.
Por fim, o físico afirma que o termômetro verifica a quantidade de emissão da radiação que sai do corpo e orienta o seu uso. “Ele deve ser apontado para a testa da pessoa, a uma distância de, no máximo, uns 5cm (conforme cada fabricante) durante cerca de 10 segundos para registrar a leitura”, explica.


 

Espiritualidade 
De acordo com a terapeuta holística Dinara Schio, o problema do termômetro digital não está ligado à saúde física, e sim espiritual. “A espiritualidade diz que não é benéfico recebermos estímulos desse tipo no Chacra Frontal. O ideal é que a temperatura seja medida em qualquer outro lugar do corpo, exceto na testa”, explica. 
Segundo Dinara, essa medição poderia influenciar o processo evolutivo do ser humano, assim como outros elementos, como o flúor presente na água. “É um assunto muito amplo. Mas a grosso modo, atrasar a evolução seria não permitir que a pessoa saia da Matrix”, comenta. Seguindo essa visão espiritual, os alimentos industrializados também são maléficos, já que provocam o chamado atraso da consciência. “Quanto mais intoxicado estiver o nosso organismo, mais denso será o nível de consciência. Eu faço uma analogia que, com isso, nós iremos enxergar o mundo como se estivéssemos usando óculos sujos”, exemplifica.




Curta o SERRANOSSA