Geral
30/10/2020 12:20:39, escrita por SERRANOSSA

Estudo confirma que um tsunami atingiu Santa Catarina em 2019

Segundo estudo publicado na revista Natural Hazards nesta semana, um tsunami meteorológico foi a causa da subida do mar verificada em extensa área da costa do estado de Santa Catarina exatamente um ano atrás e que trouxe destruição. No dia 29 de outubro de 2019, o litoral Centro e Sul catarinense registrou a ocorrência de uma onda do tipo tsunami e que foi registrada pelas estações maregráficas da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), inicialmente em Balneário Rincão, passando por Imbituba, Florianópolis e se dissipando próximo a Balneário Camboriú aproximadamente duas horas e meia mais tarde.

O estudo foi liderado por pesquisadores da Marinha do Brasil no Rio de Janeiro, que entraram em contato com a Epagri e sugeriram um estudo detalhado do fenômeno. A rede de radares meteorológicos, estações meteorológicas e estações maregráficas que fazem parte do sistema de monitoramento costeiro da Epagri na região foram usadas para a identificação, caracterização e confirmação do evento como um tsunami de características meteorológicas, ou seja, um meteotsunami.

Conforme os especialistas, a geração da onda que atingiu a costa catarinense se deu devido a um alinhamento de uma rápida mudança de pressão atmosférica com as ondas do mar que estavam chegando às águas costeiras mais rasas.

O marégrafo da Epagri que opera no porto de Imbituba foi fundamental para a detecção do meteotsunami, pois opera em condições análogas à rede mundial de prevenção e detecção de tsunamis, registrando o nível do mar a cada 60 segundos.


 

Acompanhando a mudança do nível do mar nos outros marégrafos, os pesquisadores concluíram que este meteotsunami se caracterizou por duas ondas principais, que no seu ponto máximo atingiram 75 e 118cm, e que viajaram pela costa de Sul a Norte do Estado a uma velocidade de 1,4km/min.


 

“Mais importante do que a sua caracterização e publicação nos meios científicos, este evento ressalta a importância de o Estado dispor de uma rede de equipamentos de alta complexidade para registrar sua ocorrência e, ao mesmo tempo, dispor de profissionais altamente qualificados para interpretar os dados e atuar para a segurança da população, destacou a Epagri em comunicado.

 

 

 




Curta o SERRANOSSA