Negócios
05/10/2019 07:00:39, escrita por Greice Scotton Locatelli

Vida de mãe, avó e profissional multimídia

A experiência de ser mãe é capaz de mudar completamente a vida de uma mulher, da mesma forma que ocorre quando ela se torna avó. E quando ambas acontecem quase que simultaneamente? A jornalista Lucinara Masiero garante: é muito amor envolvido!

Lucinara engravidou pela primeira vez aos 15 anos. “Ser mãe tão nova foi um desafio, mas, ao mesmo tempo, nunca me impediu de fazer nada, tive muito apoio da minha família e segui a vida, especialmente os estudos”.  Quando a filha, Tainara, estava com 12 anos, ela e o ex-marido decidiram que iriam tentar ter outro bebê, mas uma disfunção hormonal acabou adiando os planos. “Foram cinco anos de tratamento e então o João Vitor nasceu. Ele e a Tai têm 17 anos de diferença”, relembra.

Nesse meio-tempo, o relacionamento terminou e a vida seguiu. Lucinara, àquela altura mãe de dois filhos, bem resolvida e com uma carreira sólida na área da comunicação – ela é formada em Jornalismo e Pedagogia e tem pós-graduação em Gestão de Eventos –, acabou se aproximando do também jornalista Janquiel Mesturini, seu atual companheiro. “Eu estava com 40 anos e já havia tido duas experiências em relação à maternidade. Ele, ainda não. Conversamos muito e chegamos à conclusão de que ele tinha pelo João Vitor um sentimento de pai. Decidi que faria uma laqueadura e naquela semana agendei uma consulta com a minha ginecologista. Era agosto e a médica só tinha vaga para abril do ano seguinte”, detalha. Em outubro, voltando de um evento em Garibaldi, Lucinara se deu conta de  que algo não estava normal, mas não prestou  muita atenção na hora. “Uns dias depois estava no Centro com o João e decidi comprar um teste de farmácia que, obviamente, deu positivo. Eu imediatamente liguei para o Janquiel: ele estava a poucos minutos de começar uma palestra e ficou mudo”, conta, rindo.

 


Ao anunciar que estava esperando Benjamin, hoje com quase 3 anos, Lucinara ganhou um presente especial (Foto: arquivo pessoal)

 

A experiência não havia sido a primeira do casal: eles estavam juntos há pouco mais de um ano quando ela engravidou, mas sofreu um aborto espontâneo bem no início da gestação. “Isso fez com que esperássemos passar as 12 primeiras semanas para anunciar para familiares e amigos”, explica Lucinara.

 

Lucinara e Janquiel estão juntos há quase 10 anos e também são sócios na Conceitocom (Foto: Andreia D. Fotografia)

 

O Benjamin, um menino simpático e sapeca, veio ao mundo no dia 23 de junho de 2016. Detalhe: ele já nasceu “tio” – Tainara, a filha mais velha de Lucinara, já era mãe da Ana Luiza, hoje com 9 anos, e repetiu a experiência há poucas semanas, com o nascimento da Bella, ocorrido no dia 12 de abril. “Fui mãe aos 15, aos 32 e aos 43 anos e avó aos 36 e aos 46. É espetacular, todas as experiências foram únicas, diferentes e fantásticas à sua maneira”, garante. “A Tainara nasceu de parto normal, quando eu era adolescente. O João precisou nascer de cesariana porque descobri um aneurisma cerebral que poderia colocar nossas vidas em risco. Quando o Benjamin nasceu, eu já aproveitei para fazer a laqueadura. Das três gestações a última foi a mais tranquila, mas penso que muito se deve também à minha maturidade: era a época da vida em que eu estava mais serena e menos ansiosa”, detalha.

 


Lucinara e os filhos, Tainara, João Vitor e Benjamin, o caçula. Ela também é vó da Ana Luiza, de 9 anos, e da Bella, que nasceu em abril (Foto: Andreia D. Fotografia)

 

As lições

Lucinara conta que cada gestação teve suas peculiaridades, mas que a do João Vitor foi a mais marcante. “Foi superplanejada, eu tinha todas as expectativas do mundo quanto aos cuidados e todas foram frustradas: queria amamentar até os seis meses, mas o leite secou aos três. Quando o Benjamin nasceu, não criei expectativas irreais e acabou sendo o que eu mais amamentei, até os quatro meses e meio. No fim, aprendi que perfeição não existe quando o assunto é maternidade, que a gente faz o que dá, da melhor forma possível, e que nem por isso o amor é menor”, comenta.

Diferentes momentos da vida e experiências de gestação únicas refletem também nos comportamentos e personalidades. “A Tainara já é mãe, sempre se virou muito bem. O João, aos 13 anos, é introspectivo, antenado com assuntos diversos, toca piano, discute sobre política e ama ler. É um querido, muito doce. O Ben é o nosso despertador. De segunda a segunda, às 6h30 ele já está de pé, ´ligado na tomada´ e é quem garante que a casa esteja sempre em movimento e com uma energia ótima. Mesmo ainda pequeno ele sabe bem o que quer, é despachado e independente”, descreve. Do alto de seus quase 3 anos de idade, aliás, Benjamin garante: “só vou ser titio quando crescer e ficar grande”, referindo-se às sobrinhas, Ana Luiza, seis anos mais velha que ele, e Bella, que completa o primeiro mês de vida no próximo dia 12.

 


Ana Luiza (Foto: Arquivo pessoal)

 


Bella (Foto: Arquivo pessoal)

 

“A Tainara sempre foi desencanada, ‘do mundo’, morou em Santa Catarina e não nos víamos muito. Desde o final do ano passado, ela voltou a Bento. A nossa rotina é uma loucura, uma correria, então não sou o tipo de vó que vai para a cozinha fazer um bolo, mas sento, converso, oriento e saio para comprar uma roupa legal com a minha neta. Já a minha mãe, que é bisavó delas, cumpre muito bem esse papel, é a típica ‘vó’ com açúcar, do tipo que faz tortéi que só ela sabe fazer, e me ajudou a criar a Tainara e o João”, diz Lucinara. Hoje ela mora em Cascavel, no Paraná, para onde a irmã dela, Vanessa, se mudou e onde ajuda a criar outra neta, Alice, de 1 ano. “O plano é que ambas voltem a morar em Bento em breve”, comenta.

 


(Foto: Arquivo pessoal)

 

Equilíbrio

Lucinara e Janquiel se conheceram profissionalmente – ela assessora de imprensa e ele editor de jornal. “Eu dizia que ele era um chato, mal sabíamos o que o futuro nos reservava”, brinca. A aproximação ocorreu alguns meses após a separação dela. “Na verdade eu não estava procurando um novo relacionamento. Estava leve, bem resolvida. Aconteceu e isso fez com que eu me redescobrisse como pessoa e como mulher – sou muito feliz”, garante, orgulhosa. Hoje eles passam praticamente o tempo todo juntos, seja trabalhando, cuidando dos meninos ou curtindo as poucas horas vagas em casa. “Criança pequena precisa ter rotina, então adaptamos a nossa para uma estabilidade mínima necessária, apesar da correria. Geralmente chegamos cedo na agência – eles são sócios na Conceitocom Brasil – e na hora do almoço encontramos o João. No fim do dia, o expediente na comunicação encerra oficialmente às 18h30, hora em que a prioridade passa a ser a família”, conta.

Essa busca por uma rotina menos insana ocorreu quase que simultaneamente à nova fase da Conceitocom. Criada em 2001, a empresa passou a ser administrada de forma conjunta pelo casal há cinco anos. Desde 2015, um novo modelo de gestão passou a ser adotado, para atender uma demanda dos clientes: a integração de processos. Em vez que focar apenas na assessoria de imprensa, hoje a Conceitocom supre todas as necessidades de comunicação, incluindo publicidade, eventos e, mais recentemente, pesquisa de opinião. “Percebemos que os clientes queriam otimizar tempo e dinheiro encontrando todas as soluções de comunicação em uma mesma agência e deu supercerto. Nós nos reorganizamos, mudamos o foco, nos qualificamos. Hoje nossos resultados são muito melhores e, consequentemente, o retorno das empresas que atendemos também”, comemora Lucinara, adiantando que a equipe trabalha em uma nova marca que deverá ser lançada em breve.

 


(Foto: Arquivo pessoal)

 

Esse remanejamento também impactou positivamente na rotina da família. “Eu e o Janquiel não temos papéis específicos, eles se confundem. Conforme o dia, sou eu quem cozinha ou é ele, e assim por diante. Temos personalidades fortes, mas um complementa e equilibra o outro. Como hoje o foco da nossa agência é muito mais corporativo, conseguimos nos revezar em compromissos fora do horário de expediente na maioria das vezes. E, quando não dá, contamos com ajuda dos pais dele, que moram em Carlos Barbosa.

 


A mãe, Ires Minuscoli, e a irmã de Lucinara, Vanessa, moram atualmente no Paraná com a sobrinha dela, Alice (Foto: Arquivo pessoal)




Curta o SERRANOSSA