Saúde
12/02/2019 08:20:12, escrita por SERRANOSSA

Aplicativo do Samu começa a ser utilizado pela população para pedir socorro

Uso do app agiliza o atendimento da central de regulação e o envio de ambulâncias

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) agora pode ser acionado através de um aplicativo disponível gratuitamente no Google Play para telefones Android. O aplicativo utiliza as informações cadastradas, incluindo endereços onde a pessoa costuma permanecer mais tempo, como casa e trabalho, por exemplo, e os dados de GPS para indicar a localização do solicitante no momento da emergência. A pessoa pode acionar para si mesma ou para outro.  


A ligação a partir do app agiliza o atendimento da equipe na Central Estadual de Regulação e o deslocamento das ambulâncias, pois os dados do solicitante estão pré-cadastrados e a localização exata da ocorrência é compartilhada via GPS. “Alguns segundos que economizamos na conversa inicial de um atendimento podem ser fundamentais para salvar a vida do paciente que está precisando da ambulância”, ressalta a coordenadora estadual de urgências e emergências, Marly Moraes Lima.


Desde o lançamento do aplicativo, na primeira semana de novembro, 19 cidadãos o utilizaram para realizar chamadas ao 192 de diferentes locais do Estado. Os pedidos de socorro foram por situações de quedas, acidentes de trânsito, dor torácica e outras urgências clínicas. 


Foto: Greice Scotton Locatelli

Saiba a diferença

Quando uma pessoa disca 192 na área de abrangência do Samu RS, a ligação será atendida na Central Estadual de Regulação, em Porto Alegre, ou nos municípios que têm centrais próprias ou contam com a chamada Regulação Inversa, como Bento Gonçalves.


Independentemente de qual central atenda a ligação, quem faz a triagem inicial é o técnico auxiliar de regulação médica. É esse profissional que coleta as informações preliminares da urgência, para saber quem está ligando, o que está acontecendo e onde.


Após essa fase inicial, a chamada é transferida para um médico ou um enfermeiro regulador, dependendo da gravidade da situação. O médico terá a prerrogativa de definir a necessidade de acionar a ambulância, que pode ser de suporte básico ou avançado (para os casos mais graves).
Ao realizar o chamado a partir do aplicativo, as informações de quem é o solicitante e o local entrarão automaticamente no sistema de regulação, fazendo com que o médico possa acionar a equipe de socorro mais rapidamente.




Curta o SERRANOSSA