Saúde
20/05/2020 09:40:34, escrita por Eduarda Bucco

Aumento no número de curados em Bento está ligado à aplicação de testes rápidos

O município de Bento Gonçalves chegou à marca de 384 casos de Coronavírus na terça-feira, 19/05, após a confirmação de 24 novos infectados nas últimas 24h. O salto no número também está ligado à confirmação de 52 casos de trabalhadores de um frigorífico de Garibaldi, que residem em Bento – por determinação do Ministério do Trabalho, a empresa está testando todos seus funcionários para afastar aqueles que estiverem contaminados.  

Mas, além do grande aumento no número de confirmados, outro dado que tem chamado a atenção dos bento-gonçalvenses é a quantidade de pessoas consideradas curadas da doença. Até a quarta-feira, 20/05, 239 pacientes que haviam sido diagnosticados com a COVID-19 já estavam recuperados, o que representa 62% do total. 

“Fico feliz que as pessoas estão se curando, mas pelo que sei, a pessoa só é considerada curada após 14 dias de isolamento e se formos olhar o número de contaminados que tínhamos há 15 dias e o número de curados divulgado hoje [18/05], veremos que os números não fecham. Acho que estão dizendo que as pessoas estão curadas e liberando as mesmas do isolamento antes de completar os 14 dias de isolamento, o que é perigoso pois pode ter pessoas que ainda estão com o vírus ativo circulando pela cidade. Fora os que estão com ele e não sabem”. Esse foi o comentário de uma das leitoras do SERRANOSSA em uma publicação sobre o salto no número de curados da COVID-19, divulgada na segunda-feira, 18/05. A dúvida também é compartilhada por outros moradores, que ainda questionam quais foram os métodos utilizados no município para garantir um tratamento eficaz. 


 

Além do tratamento nas unidades de saúde, a explicação para esse aumento de curados também está ligada à aplicação de testes rápidos, que começou de forma mais intensa nas últimas semanas.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Diogo Siqueira, para que uma pessoa possa ser testada por essa metodologia, é preciso que ela esteja há pelo menos 7 dias desde a aparição do primeiro sintoma – e há 3 dias assintomática [sem sintomas]. Isso porque os testes rápidos são capazes de detectar os anticorpos, e não propriamente o Coronavírus. "Se no teste aparecer o anticorpo IgM, significa que a pessoa está na parte final da doença, que ela já está começando a desenvolver o anticorpo. Então ela vai entrar para a estatística de infectados ativos por cerca de 7 dias ainda, até termos certeza que ela está curada, que não poderá transmitir a doença. Se aparecer o anticorpo IgG, significa que ela está, no mínimo, no décimo dia em diante", explica. 

Dessa forma, os pacientes que tiverem resultado positivo pelos testes rápidos serão, primeiramente, enquadrados como contaminados. Entretanto, passarão a ser considerados curados em um tempo mais curto que 14 dias – tempo médio de incubação do vírus. 

“Após o 7º dia do primeiro sintoma e o 3º assintomático, a gente agenda esse paciente, geralmente, em alguma unidade de saúde ou no próprio laboratório ao lado da UPA, para fazer o teste rápido”, explica o secretário. 

No caso dos pacientes considerados graves, o método de testagem utilizado é o PCR, capaz de identificar a doença enquanto a pessoa está ainda apresentando sintomas. “Essa é a vantagem do PCR, a velocidade. Pegamos o caso ativo mesmo. Já o teste rápido é para ter certeza que esse paciente está imunizado”, explica Siqueira. 

De acordo com Siqueira, os testes rápidos são eficazes para frear a contaminação. “A partir deles a gente pode controlar a família desse paciente que teve o teste rápido positivo. Verificar se a empresa que ele trabalha está contaminada e ter uma análise de todas as relações desse paciente”, esclarece. 

Até o momento, a secretaria de Saúde de Bento afirma que já foram realizadas cerca de 1.000 testagens, entre PCRs e testes rápidos. Dados da Vigilância Epidemiológica até o dia 15/05 apontam que, do total de confirmados com a COVID-19, 63,3% foram diagnosticados por meio do exame PCR e os demais, por testes rápidos. 

Testes recebidos em Bento:
260 testes rápidos – encaminhados pelo governo estadual para profissionais da saúde e segurança 
1025 testes rápidos – adquiridos com recursos do Poder Judiciário
300 PCRs – comprados com o Hospital Tacchini
1.000 – testes rápidos do governo do estado (que chegaram nesta semana)

Foto: Secretaria de Saúde
 




Curta o SERRANOSSA