Saúde
05/12/2021 14:45:06, escrita por Eduarda Bucco

Prefeitura explica aumento repentino de recuperados pela COVID

Na terça-feira, 11/05, foram incluídos mais 1.524 pacientes recuperados no boletim diário

O alto aumento no registro de pessoas recuperadas da COVID-19 na terça-feira, 11/05, em Bento Gonçalves, levantou uma série de questionamentos. Após semanas com o número de casos ativos da doença em cerca de 2 mil, o dado caiu para 600 casos ativos, a partir da inclusão de 1.524 pacientes já recuperados da doença no boletim do município. Apesar da explicação de que o aumento aconteceu por conta da exportação dos dados dos sistemas ESUS-Notifica e SIVEP-Gripe, ainda ficou o questionamento do por que tantos casos estavam acumulados em Bento. 

Conforme a enfermeira da Vigilância Epidemiológica do município, Letícia Biasus, os dois sistemas servem para notificar casos diferentes. No SIVEP-Gripe são notificados os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave relativos à COVID-19, sendo abastecido, exclusivamente, pelo setor de vigilância.  Já no ESUS-Notifica são registrados os casos de síndrome gripal e qualquer entidade que faça a testagem do Coronavírus é capaz de notificar. “Temos mais de 40 notificadores dentro do município, entre Unimed, Tacchini, unidades de saúde e farmácias, por exemplo”, explica Letícia. 
Dessa forma, uma vez por semana a vigilância epidemiológica recebe uma planilha do Estado, com o compilado das notificações pelo ESUS, sendo necessário fazer o encerramento daqueles que já passaram o período de infecção.  “Esses casos que entraram para o boletim do município são praticamente todos do mês de abril, quando houve um aumento expressivo de casos na cidade. Na verdade esse aumento começou ainda em março, se estendendo até abril, por isso a gente tem esse alto número que agora está sendo fechado”, esclarece. 

Questionada sobre os casos diários de recuperados que aparecem no boletim do município, Letícia comenta que se tratam dos notificados exclusivamente pela vigilância por meio do SIVEP. “Esses 10 casos diários, por exemplo, é o que a gente conseguiu fechar dentro da vigilância. Aí ficam esses remanescentes dos outros serviços que também testam e notificam”, ressalta. 

A notificação de recuperados ocorre a partir do período de infecção, considerado em 10 dias para a síndrome gripal e 20 dias para a síndrome respiratória aguda grave, ou da alta hospitalar. “As pessoas podem acompanhar as informações pelo painel estadual. Os números são fechados e organizados pela vigilância epidemiológica, por meio dos sistemas de notificação, e divulgados pelo Estado no painel”, complementa. 
 




Curta o SERRANOSSA